Real Vida cresceu 17% o volume de negócios em 2019

  • ECO Seguros
  • 31 Maio 2020

A Real Vida alcançou um crescimento de 17% em 2019 face ao ano anterior, ao mesmo tempo que o ramo Vida, que significa, 98% do seu negócio, decresceu 14%.em Portugal.

Com uma distribuição baseada em mediadores, a Real Vida ganhou uma posição no ranking global das seguradoras em Portugal subindo à 19ª posição em 2019, com uma quota de mercado de 0,9% correspondendo a uma produção de cerca de 108 milhões de euros. No ramo Vida ocupa o 11º lugar com uma quota de mercado de 1,5%, correspondendo a 103 milhões de euros. Para 2020 a companhia considera cedo avaliar todo o impacto da crise pandémica, mas desde já espera quebra de produção e menor rentabilidade dos seus investimentos.

A Real Vida Seguros, presidida por Joaquim Branco e fundada em 1988 por um grupo de acionistas nortenhos – ainda hoje a sua sede é no Porto – foi adquirida pela Patris Investimentos em setembro de 2013 à Parparticipadas, sociedade detida diretamente pelo Estado através da Direção-Geral do Tesouro e Finanças. Em dezembro de 2016 a Real Vida Seguros, concluiu o processo de aquisição de 96,49% do capital social e direitos de voto da Banif Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões S.A., bem como da totalidade do capital social da Finibanco Vida. Durante o segundo trimestre de 2017 a Real Vida Seguros, adquiriu ainda a totalidade do capital social e direitos de voto da Real Vida Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões. Em dezembro desse ano, a Real Vida Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A., foi incorporada na Real Vida Seguros, S.A., passando a Seguradora a ser a nova entidade gestora do fundo de pensões.

A companhia contava com 119 colaboradores no último dia do ano de 2019, ano em que a produção nova de seguros de vida sustentaram um crescimento muito acima do mercado, com subida significativa dos produtos Vida previdência. O número de apólices em vigor subiu a mais de 107 mil, tendo o ramo Não Vida decrescido 8% na produção devido, segundo a Real Vida “a uma reestruturação da rede comercial”.

Enquanto gestora de fundos de pensões, a Real Vida aumentou para 251 milhões de euros os fundos geridos provenientes de 13 fundos de pensões com 6760 participantes, tendo pago cerca de 14 milhões de euros em pensões durante 2019. Os fundos geridos obtiveram uma rentabilidade, segundo a companhia, entre 3,25% e 19,33%.

A Real Vida tem custos gerais de cerca de 11 milhões de euros por ano, dos quais 57% são despesas com pessoal e obteve um resultado líquido superior a 3 milhões de euros durante o ano passado. No último dia ano apresentava uma Margem de Solvência II de 180%, valor superior em 34% ao registado um ano antes.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Real Vida cresceu 17% o volume de negócios em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião