Pandemia “custou” 200 milhões em vendas. Mas Benfica não vai “vender ao desbarato”

  • Lusa
  • 2 Junho 2020

A pandemia impediu que o Benfica encaixasse 200 milhões de euros com a venda de dois futebolistas do plantel principal. Mas o clube não pretende "vender jogadores ao desbarato".

A pandemia impediu que o Benfica encaixasse 200 milhões de euros com a venda de dois futebolistas do plantel principal, revelou esta segunda-feira o presidente dos encarnados, em entrevista à Benfica TV, assegurando que não vai “vender jogadores ao desbarato”.

“Nunca iremos vender jogadores ao desbarato. Os jogadores têm um preço. Se for preciso, o Benfica vai recorrer a um ou dois empréstimos obrigacionistas. A solução ideal é não haver mais paragens de campeonato e o Benfica conseguirá encontrar o seu caminho”, afirmou Luís Filipe Vieira.

O líder do clube da Luz advertiu que, perante os problemas decorrentes da pandemia, a gestão tem de ser feita “dia a dia” e que “à data de hoje, o Benfica não precisa de vender jogadores”, revelando que, em janeiro, rejeitou uma proposta pelo avançado brasileiro Carlos Vinícius e que, se não fosse a crise mundial de saúde pública, as ‘águias’ tinham garantidos 200 milhões na venda de dois jogadores.

“Recebei uma proposta de 60 milhões pelo Vinícius e não vendemos, em janeiro. Não digo de quem era a proposta. E se não fosse a pandemia, o Benfica teria garantidas vendas de 200 milhões com dois jogadores, 100 milhões cada um”, transmitiu.

Mesmo perante os desafios financeiros criados pelo coronavírus, Vieira assegurou que não vai baixar ordenados, recorrer a um lay-off ou despedir funcionários, sendo que o Benfica tem “uma situação que lhe permite estar preparado para os próximos cinco meses”, ainda que já esteja a perder entre 20 e 25 milhões em receitas nesta fase.

O recente chumbo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre uma percentagem da SAD do Benfica também foi abordado por Vieira, que garantiu que “o Benfica foi completamente transparente com a CMVM [Comissão do Mercado de Valore Mobiliários] em toda a informação”.

Por outro lado, o presidente das águias voltou a reforçar a aposta na formação, mostrando-se indisponível para vender Florentino ou Jota e confirmando que Diogo Gonçalves e Nuno Santos, emprestados a Famalicão e Moreirense, respetivamente, vão integrar os trabalhos de pré-época da equipa principal. Um eventual regresso de David Luiz não deverá suceder a curto prazo, desde logo porque “é impensável o Benfica pagar” o que o central brasileiro recebe no Arsenal. Ainda assim, Luís Filipe Vieira admite que David Luiz poderá voltar ao Benfica “em determinadas condições”.

O líder dos ‘encarnados’ considerou que “se o Benfica tivesse a capacidade financeira de outros clubes”, seria possível resgatar alguns dos jovens que saíram da Luz nas últimas temporadas e que têm vincado, sucessivamente, a vontade de voltar ao clube, como são os casos de Renato Sanches, Bernardo Silva, Nélson Semedo ou Gonçalo Guedes.

Sem revelar o nome do jogador, Vieira deixou uma garantia: “Há um jogador que já disse que, quando terminar o contrato com o atual clube, vai voltar ao Benfica. Nessa altura, terá 27 anos. E esse vai voltar mesmo. Isso deixa-me muito feliz. É sinal de que os jogadores sentem uma família dentro do Benfica.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pandemia “custou” 200 milhões em vendas. Mas Benfica não vai “vender ao desbarato”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião