Admiral estreia em Espanha solução IA da Tractable

  • ECO Seguros
  • 15 Junho 2020

A Admiral Seguros, filial da companhia britânica, é pioneira em Espanha a utilizar uma solução de inteligência artificial que permite validar danos e resolver um sinistro automóvel em minutos.

A seguradora de Sevilha adotou a aplicação da Tractable, uma insurtech que desenvolveu um modelo baseado em inteligência artificial (IA) que, em tempo real, torna mais eficiente e eficaz a função de avaliação de danos em sinistros automóveis, possibilitando propostas de reembolso muito mais rápidas.

A aplicação (app), que beneficia de IA e machine learning, completa as complexas tarefas manuais que um consultor ou perito de seguros normalmente realizaria numa deslocação pessoal e produz uma avaliação de danos em segundos, muitas vezes sem necessidade de revisão posterior, explica um comunicado da filial espanhola da seguradora britânica nascida nos anos noventa, em Cardiff, Reino Unido.

Ao receber a avaliação do sinistro através da app da Tractable, a Admiral Seguros poderá resolver uma participação de sinistro em poucos minutos, podendo até concluir um acordo com o segurado “durante a primeira chamada telefónica,” nota a seguradora.

De acordo com José María Pérez de Vargas, chefe da Gestão de Clientes da seguradora com escritório em Sevilha, a solução tecnológica possibilita que “a Admiral Seguros continue a avançar na digitalização como forma de prestar um melhor serviço aos nossos segurados, proporcionando-lhes uma forma fácil, segura e transparente de avaliação dos danos, sem necessidade de deslocações, conseguindo compensar em poucas horas. Um processo simples, inovador e eficiente de gestão de sinistros que os nossos clientes certamente irão valorizar”.

Esta é a primeira vez que a solução da Tractable é utilizada para possibilitar o pagamento imediato de compensações de seguros em Espanha, reforça a fonte. Depois de testes bem-sucedidos em 2020, a Admiral Seguros e a insurtech britânica “estão agora a expandir a utilização da tecnologia para resolver milhares de sinistros todos os meses”, complementa a fonte.

Os produtos da insurtech sedeada em Londres já foram adotados por grandes seguradoras como a Ageas UK, a francesa Covéa, a japonesa Tokyo Marine e a polaca Talanx-Warta. Atualmente, com escritórios no Reino Unido e EUA, além de uma delegação acabada de instalar no Japão e da estreia em Espanha, a Tractable está presente em cerca de uma dezena de mercados.

A Admiral estabeleceu-se em Espanha em 2006. Com sede em Sevilha, a filial da seguradora britânica opera através das marcas Qualitas Auto, Balumba e WiYou, contando atualmente 260.000 clientes.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Admiral estreia em Espanha solução IA da Tractable

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião