Final da Champions em Lisboa é “irrepetível”. Vai “afirmar a marca Portugal”, diz Marcelo

O Presidente da República salientou a importância de Lisboa receber os jogos finais da Liga dos Campeões numa altura em que os países "disputam o regresso ao turismo internacional".

A escolha de Lisboa para receber a “final eight” da Liga dos Campeões é um caso “único e irrepetível”, defende o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa salientou a importância deste evento para o país, que cimenta a imagem de Portugal enquanto destino seguro, numa altura em que os países “disputam o regresso ao turismo internacional”.

Não é a primeira vez que Portugal recebe uma final, mas esta “não é mais uma”, é “irrepetível pelo momento que estamos a viver, não conhecemos nos últimos 100 anos pandemia semelhante a esta”, no que diz respeito ao fecho das fronteiras e à paragem do comércio internacional e do turismo, disse Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações transmitidas pela RTP 3.

O Presidente sublinha que vivemos num momento em que todos os países tentam afirmar a sua marca nacional no mundo, apontando que “ser a marca Portugal aquela que vence e que se vai afirmar”, recebendo a final duma das maiores competições desportivas entre os dias 12 e 23 de agosto, “não tem preço, é irrepetível, é uma vez na vida”.

Marcelo aponta que o país vence “pelos seus méritos passados e pela transparência presente”, elogiando a resposta nacional à pandemia, tanto dos cidadãos como dos profissionais. Portugal tem “autoridade moral pela forma como conduzimos combate à pandemia, mas agora pela forma transparente como continuamos a combater”, defende, salientando que o país não esconde a “vontade de testar mais”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Final da Champions em Lisboa é “irrepetível”. Vai “afirmar a marca Portugal”, diz Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião