Nova AGCS (Allianz) escolhe Nuno Antunes (AIG) para dirigir região ibero-latino americana

  • ECO Seguros
  • 2 Julho 2020

A companhia lançou um programa plurianual de reorganização sustentado em novas nomeações, menos unidades regionais e investimento na digitalização.

A Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), braço do grupo Allianz no negócio de riscos globais e seguros para empresas, embarcou num programa com o objetivo de “reconquistar liderança global de mercado e reganhar rentabilidade”, afirma Joachim Müller, CEO da AGCS desde dezembro de 2019, num comunicado que propõe uma “nova AGCS” focada na excelência técnica de processos de subscrição e gestão de risco, assente numa estrutura regional mais simples (menos uma face às atuais sete) e mais eficiente na função custos.

O realinhamento estratégico da empresa realça a prioridade de investimento na digitalização e será suportado por série de nomeações para a liderança das unidades regionais de negócio (América do Norte; Ásia-Pacífico; Europa central e oriental (CEE); Londres, que inclui países nórdicos; a nova unidade Mediterrâneo e África, incluindo França, países do Benelux, Itália e África, agora com todo o continente africano integrado sob uma única direção).

Fonte: AGCS – “Global Transformation Program 2020”


Portugal, Espanha e América do Sul serão unificados sob nova direção
regional ibero-sul americana, a designar-se Ibero-LatAm, refletindo as ligações históricas do espaço geográfico. Para diretor-geral desta nova unidade, a AGCS nomeou o português Nuno Simão Antunes, atualmente é sénior no grupo AIG exercendo como Head of Multinational and Captive Fronting para a região EMEA (47 países).

Nuno Antunes tem formação em Engenharia Aeronáutica, pela Univ. da Beira Interior e iniciou carreira profissional na indústria automóvel no final dos anos noventa. Passou pela Tokio Marine e ingressou na AIG em 2007, onde ganhou experiência. Deixou Lisboa em 2013, quando já era country manager da AIG Portugal, para desenvolver carreira internacional (na área de global risk solutions) no American International Goup (AIG), em Londres, onde está desde 2013.

As direções regionais Ásia-Pacífico, CEE e América do Norte mantêm-se sob as lideranças atuais, enquanto a nova direção Mediterrâneo e África será entregue a Corinne Cipière, atualmente country manager (CEO) da AGCS França.

Segundo nota a comunicação da Allianz, as nomeações de Nuno Antunes e de Alfredo Alonso – que transitará do Argo Group para liderar a refrescada unidade londrina da AGCS – dependem ainda de aprovação de autoridades de regulação.

No âmbito da anunciada reorganização e transformação a companhia espera, já em 2021, resultados (de poupança e rentabilidade). A utilização de tecnologias digitais e a análise de dados serão cruciais tanto no core da AGCS como para a melhoria do serviço que a companhia entrega aos segmentos corporate, salienta o documento.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova AGCS (Allianz) escolhe Nuno Antunes (AIG) para dirigir região ibero-latino americana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião