“A Nostalgia do Futuro. What’s next? Speculative Futures”

  • ECO
  • 3 Julho 2020

É o tema da sessão imersiva agendada para dia 28 julho e o primeiro evento da Cool Hunting Society by Ecoolhunter.

A Cool Hunting Society é uma plataforma que junta pessoas a pensamento e é business-oriented. Uma sociedade aberta a membros que queiram conhecer, explorar e refletir sobre novas tendências de mercado, abordar pensamento futuro e especulativo. Através de Programas Online, Eventos, Formação, Encontros, Talks, Masterclasses, Debates e Conferências, iniciativas taylor-made, faz a curadoria de conteúdos e convida a fazer parte da conversas futuristas e visões de futuro.

O primeiro evento de Cool Hunting em Lisboa e organizado precisamente pela Cool Hunting Society está agendado para o próximo dia 28 de julho e tem como tema “A Nostalgia do Futuro. What’s next? Speculative Futures”.

O Covid-19 foi um Acelerador de Mudanças Globais, criou o Consumidor C e trouxe-nos um sentimento de Nostalgia de Futuro. Durante uma manhã, numa sessão imersiva apenas interrompida por um pequeno-almoço preparado na própria cozinha d’ OFLAT, Vanda Jorge, editora do Ecoolhunter by ECO, analisa o efeito pandémico em marcas e em diferentes indústrias e, de que forma, pode ser entendida esta Nostalgia do Futuro – a tendência que chega entre as memórias do que tínhamos e o desejo for what’s next.

Como convidada especial a sessão conta como Livia Pinent, Head of Research da ThePowerHouse, com a apresentação em primeira mão do novo relatório de tendências desta agência, “The State of Presence”, sobre tempos que requerem foco absoluto no presente para serem absolutamente conscientes e descobrirmos o que acontecerá no mundo pós-Covid-19. “The State of Presence Report”, é um estudo para o ecossistema da inovação europeia sobre o “novo normal” e as oportunidades de inovação dentro de um cenário de incerteza e crise.

Todas as informações e inscrições no AQUI

 

 

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“A Nostalgia do Futuro. What’s next? Speculative Futures”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião