Mediadora de seguros Certezza vai recrutar 100 colaboradores

  • ECO Seguros
  • 6 Julho 2020

Baseada nos Açores a mediadora quer expandir a sua presença no continente. Vai recrutar 100 mediadores este ano para cobrir o país, paga acima da média e vai dar formação.

A Certezza, sociedade portuguesa mediadora de seguros com sede em Angra do Heroísmo, pretende contratar 100 pessoas até o fim do ano, com o objetivo de consolidar-se no mercado da distribuição de no continente.

Pedro Morais Fidalgo, CEO da Certezza

Fundada em 2002, ultrapassou a fasquia de 1 milhão de euros em receitas no ano passado, um crescimento de 16% em relação ao ano anterior e uma duplicação de receita em relação aos dois últimos anos. Anunciou ainda um ganho de mais 3 mil clientes em 2019 a acrescentar à sua base de 20 mil já existentes.

No primeiro trimestre deste ano a mediadora registou um crescimento de 65% face ao mesmo período de 2019. E no primeiro semestre do ano, já em período Covid-19, obteve um crescimento de 25% foi apoiado por 61% de produtos estratégicos.

Para assegurar a estratégia de crescimento e expansão futura, a Certezza pretende agora “recrutar os melhores talentos do mercado de mediação de seguros, traçando como objetivo a contratação de 100 especialistas em mediação de seguros até ao fim do ano”, diz a empresa, acrescentando que “promete pagar valores acima da média do mercado de modo a contratar os melhores recursos, e vai investir na formação dos seus colaboradores”.

Este é o ano em que devemos apostar ainda mais nas pessoas” afirma Pedro Morais Fidalgo, CEO da Certezza, “mais do que um agente de seguros, nós pretendemos que os nossos colaboradores sejam verdadeiros conselheiros da poupança para os nossos clientes”, concluindo que “quer uma equipa com os melhores profissionais que à distância de um e-mail, telefone ou presencialmente apresentem a melhor solução de seguros para os clientes”.

A Certezza afirma que não recorreu ao regime de layoff, tendo, inclusive, aumentado a totalidade das remunerações de todos os seus colaboradores. “Esta é uma altura de desafios e Sabemos que temos os melhores e é importante motivá-los nestes tempos excecionais”, acrescenta ainda Pedro Morais Fidalgo.

A mediadora tem uma forte posição nos Açores, com presença em Angra, Praia da Vitória e Ponta Delgada, escritório em Lisboa, uma rede de Direct Marketing a nível nacional e trabalha com as seguradoras Tranquilidade, Zurich, Liberty, Generali, April, Real Vida Seguros, ASISA, Saúde Prime, MetLife, Açoreana, Lusitania, Prévoir e Allianz.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mediadora de seguros Certezza vai recrutar 100 colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião