A expansão do Millennium Hotels Real Estate confirma o interesse de investimento no setor hoteleiro espanhol

  • Servimedia
  • 10 Julho 2020

Após o aumento de capital, a Millenium Hotels Real Estate estará entre as dez maiores Socimi de Espanha.

Esta semana, os direitos ao aumento de capital da empresa hoteleira Millenium Hotels Real Estate começaram a ser cotados. Com esta mudança, tornou-se a primeira empresa em Espanha a tornar-se pública, para aumentar o capital após o Covid-19 e está a servir para confirmar o apetite do investidor pelo setor hoteleiro espanhol.

A empresa tomou a decisão de avançar com o aumento após uma ronda anterior de contactos com investidores, na qual pôde verificar que o setor hoteleiro espanhol, e especificamente o segmento de luxo em que a empresa está posicionada, continuava a despertar interesse no mercado.

Por enquanto, três dos quatro principais acionistas já manifestaram a sua intenção de avançar e é previsível que alguns dos acionistas minoritários também o façam, de acordo com fontes familiarizadas com o processo, o que reflete a confiança tanto na estratégia e no historial da empresa como na sua equipa de gestão.

Juntamente com eles, serão admitidos novos acionistas interessados no potencial que a empresa está a demonstrar após ter cumprido os objetivos do seu plano estratégico. De facto, conseguiu investir os 200 milhões de euros angariados num tempo recorde de nove meses e antes do previsto, cumprindo os compromissos assumidos após a sua entrada no MAB no ano passado.

Com a nova entrada de capital, a empresa pretende tirar partido do reforço da sua posição financeira para adquirir ativos de qualidade em melhores condições do que teria feito anteriormente, completando assim uma carteira que no final de 2019 tinha sido reavaliada em 26,5 milhões de euros.

Após o aumento de capital, cujo período de subscrição preferencial termina a 19 de julho, o Millenium estará entre as dez maiores Socimi de Espanha.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A expansão do Millennium Hotels Real Estate confirma o interesse de investimento no setor hoteleiro espanhol

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião