Bruxelas dá luz verde a ajuda de 3,4 mil milhões da Holanda à KLM

O Governo holandês vai conceder um apoio de 3,4 mil milhões de euros à companhia aérea para que esta consiga a liquidez necessária para ultrapassar a situação financeira causada pela pandemia.

A Comissão Europeia aprovou um pacote de 3,4 mil milhões de euros em apoios estatais à KLM por parte do Governo holandês. Este empréstimo vai ser concedido no âmbito do quadro dos apoios temporários criado por Bruxelas em março e vai permitir à companhia europeia ter liquidez suficiente para dar a volta aos efeitos da pandemia de coronavírus.

“A KLM desempenha um papel fundamental para a economia holandesa, tanto em termos de emprego como de ligações aéreas. A crise atingiu o setor da aviação de forma particularmente dura. Esta garantia e empréstimo estatal de 3,4 mil milhões de euros vão dar à KLM a liquidez necessária que necessita urgentemente para suster o impacto do surto de coronavírus“, diz a vice-presidente da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, citada em comunicado.

Em troca deste empréstimo, explica Vestager, o Governo holandês impôs à KLM “certas condições” referentes à “afetação de lucros, condições de trabalho e sustentabilidade”. O que para a responsável é “muito bom”, salientando que os “Estados-membros são livres de conceber medidas em conformidade com os seus objetivos políticos e as regras da União Europeia”.

Os Países Baixos notificaram a Comissão Europeia de que este apoio iria ser concedido ao abrigo das regras europeias de auxílios estatais, que vai ser dado através de uma garantia estatal sobre empréstimos concedidos por um consórcio de bancos e de um empréstimo subordinado à empresa pelo Governo holandês, refere o comunicado de Bruxelas.

Depois de analisada a situação da companhia aérea, a Comissão Europeia concluiu que este apoio poderá ser dado através do quadro temporário de apoios ao coronavírus, dado que a KLM não apresentava dificuldades antes de 31 de dezembro de 2019, o que não acontecia com a empresa portuguesa, a TAP.

A KLM é uma das principais companhias aéreas a operar na Holanda, com mais de 36.000 funcionários. Pertence ao Grupo Air France – KLM, no qual o Estado holandês e o francês têm participações. Devido às várias imposições impostas ao setor da aviação devido à pandemia, a KLM sofreu uma redução significativa dos seus serviços, o que resultou em “elevadas perdas operacionais”.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Bruxelas dá luz verde a ajuda de 3,4 mil milhões da Holanda à KLM

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião