DS Seguros: famílias podem poupar 50% do que pagam por seguro Vida do crédito habitação

  • ECO Seguros
  • 14 Julho 2020

A rede de seguros afirma que, graças aos seus serviços, mais de 1.000 famílias pouparam uma média cerca de 600 euros anuais no seu seguro de Vida do crédito habitação.

No primeiro semestre de 2020, “foram mais de 1.000 as famílias a poupar cerca de 50% no Seguro de Vida do Crédito habitação, o que se traduz em menos 600.000 euros de custos por ano, o equivalente a uma poupança média por agregado familiar de cerca de 600 por ano”, quantifica a DS Seguros num comunicado.

Segundo Luís Tavares, diretor coordenador nacional da DS Seguros: “Existe um desconhecimento por parte dos portugueses sobre o facto de ser possível fazer este seguro fora da entidade bancária onde está o empréstimo, sem que tenham qualquer agravamento na prestação do crédito habitação. Este fantasma tem levado as famílias a não procurarem aconselhamento para reduzir o preço do seu Seguro de Vida do Crédito Habitação, pois ficam com a ideia que com essa mudança o banco aumentará o spread”.

Assim, as famílias numa faixa etária acima dos 40 anos e que tenham uma divida bancária que ronde os 100.000 euros ou mais, “têm a possibilidade, com o aconselhamento especializado da DS SEGUROS, de poupar cerca de 50% no valor que pagam pelo Seguro de Vida do Crédito Habitação, sem que com essa alteração, tenham um agravamento na prestação do crédito habitação”.

Nos casos em que possa existir uma alteração do spread, explica a mesma fonte, “não haverá um impacto significativo na prestação, quando comparado com a redução do valor mensal do seguro de vida, ou seja, a poupança continuará a compensar”.

Em contexto de recessão económica causada pela Covid-19, onde milhares de famílias estão a ser afetadas pelo desemprego e com quebras significativas de rendimentos, “poupar dinheiro nunca foi tão importante,” nota a DS Seguros.

Uma das formas de contribuir para ajudar os portugueses a aliviar os seus encargos fixos e a terem mais rendimento disponível para enfrentar as dificuldades que se avizinham, “pode passar pela negociação do Seguro de Vida do Crédito Habitação, que é obrigatório”, propõe a rede de seguros da Decisões e Soluções.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DS Seguros: famílias podem poupar 50% do que pagam por seguro Vida do crédito habitação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião