Victoria Seguros patrocina Laboratório de saúde para o edificado

  • ECO Seguros
  • 28 Julho 2020

A seguradora, promotores e investidores imobiliários e a medicina da NOVA concordam que edifícios certificados como saudáveis promovem saúde de quem habita ou utiliza. Assim, nasce um laboratório.

A Victoria Seguros e a APPII – Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários assinaram um protocolo de parceria com a unidade de medicina exponencial da NOVA Medical School (Universidade Nova de Lisboa) para a criação do “Living Lab APPII SI: Saúde & Imobiliário, powered by Victoria Seguros”, anunciou a companhia.

O Living Lab, gerido pela Nova Medical School com contributo da APPII, terá como objetivo a investigação aplicada no ecossistema da Saúde do Edificado e o desenvolvimento de um processo de otimização e qualificação de “Edifícios Saudáveis”, através de um design direcionado, rigorosos requisitos técnicos, protocolos de gestão-manutenção e cuidadosas políticas de utilização dos espaços, “tornando o Imobiliário um importante catalisador da Sustentabilidade Humana”, salienta a Victoria.

«A parceria com a NOVA Medical School e o reforço da parceria com a APPII, evidencia o propósito da VICTORIA em se afirmar, cada dia mais, como um elemento ativo no estabelecimento de pontes entre o conhecimento residente no mundo académico e os vários interlocutores da realidade empresarial e da comunidade», assume a seguradora em comunicado.

A recente atenção em torno das alterações climáticas, da ecologia, do ambiente e das suas implicações na Vida Humana e em particular a presente crise pandémica, “impuseram que se olhasse o Edificado como um importante determinante de saúde individual e comunitária”.

Com perfil interdisciplinar, colaborativo, equitativo e plural, o Living Lab APPII SI “promoverá metodologias e estratégias de otimização dos edifícios, tendo em vista a saúde dos seus ocupantes”, adianta a instituição de seguros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Victoria Seguros patrocina Laboratório de saúde para o edificado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião