Algarve é mais do que praias. Há design aplicado à cultura local

O impacto da pandemia no Turismo no Algarve tem sido notícia, mas também o design se viu obrigado a reinventar em tempos de menos turistas e de experiências mais digitais.

Quando pensamos em Algarve, pensamos imediatamente num verão de dias quentes e de praia. O impacto que a pandemia trouxe ao setor do turismo tem sido já muitas vezes analisado, mas há outros setores, sem sazonalidade, que também sentiram o impacto da Covid-19.

Esta semana conversámos com Henrique Ralheta, Diretor do Loulé Design Lab, que tem como objetivo apoiar ativamente ideias e projetos na área do design aplicado à cultura local.

Um laboratório de criação, investigação e experimentação, onde são disponibilizadas condições para a formação e fixação de uma comunidade criativa, que tem entre as iniciativas o acolhimento e a incubação de criadores em espaços de coworking, oficinas partilhadas e showroom; a promoção de projetos de investigação aplicada à produção local; um laboratório de criação e desenvolvimento de produtos; uma rede de oficinas parceiras e uma programação regular com residências artísticas, workshops, conferências e exposições.

Tal como muitos outros projetos, a pandemia obrigou-os a repensar estratégia, acelerou a digitalização na forma de trabalharem e de se apresentarem e, neste verão, apostam na conquista do mercado nacional, de visita ou de férias no Algarve.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Algarve é mais do que praias. Há design aplicado à cultura local

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião