CA Seguros e CA Vida lucram 7,4 milhões no primeiro semestre

  • ECO Seguros
  • 14 Agosto 2020

As filiais de seguros do Crédito Agrícola cortaram provisões técnicas em perto de 40%. Embora com queda de 30% na margem técnica agregada, as seguradoras geraram perto de 15% do lucro do grupo CA

A CA Vida e a CA Seguros, filiais do Crédito Agrícola (CA) na área de serviços financeiros e produtos de proteção, somaram 7,4 milhões de euros de resultado líquido no primeiro semestre, apontando declínio de 5% em comparação com ganho conjunto nos primeiros seis meses de 2019, revela informação do grupo bancário cooperativo que, além da Caixa Central e do negócio segurador, integra 78 caixas regionais (Caixas de Crédito Agrícola Mútuo).

De acordo com o Crédito Agrícola, que apresentou lucro consolidado a descer 33% no semestre reportado (face a 1º semestre de 2019), a rentabilidade alcançada pelo grupo a junho de 2020 (5,4% de ROE) “espelha os resultados conseguidos nas diferentes componentes do Grupo (…), sendo de assinalar os contributos positivos de 4,3 milhões de euros da CA Vida e de 3,1 milhões de euros da CA Seguros.

Os números do negócio segurador constam da informação semestral consolidada pelo Crédito Agrícola (CA). Em conjunto, as duas seguradoras contribuíram com 14,8% do lucro semestral apresentado pelo Crédito Agrícola. Segundo sintetiza a informação publicada pela instituição, a margem técnica conjunta das seguradoras encolheu perto de 8,9 milhões de euros ou 29,6% face a um ano antes, totalizando 21,1 milhões de euros. De acordo com o balanço do grupo Crédito Agrícola, as provisões técnicas para contratos de seguros diminuíram 39%, para 753 milhões de euros, menos 479 milhões relativamente ao cálculo das necessidades prudenciais consideradas um ano antes.

Segundo dispõe a regulamentação sobre o plano contabilístico das empresas de seguros (PCES), o montante das provisões técnicas “deve, em qualquer momento, ser suficiente para permitir à empresa de seguros cumprir, na medida do razoavelmente previsível, os compromissos decorrentes dos contratos de seguro”.

Além das filiais CA Seguros e CA Vida, o grupo financeiro de natureza cooperativa integra ainda a CA Seguros e Pensões SGPS.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CA Seguros e CA Vida lucram 7,4 milhões no primeiro semestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião