Mais três mortes e 198 casos de Covid-19, a maioria fora da região de Lisboa

Portugal registou mais três mortes e 198 casos de Covid-19. Pela primeira vez desde maio, a maioria dos novos casos registou-se fora da região de Lisboa e Vale do Tejo.

As autoridades de saúde encontraram 198 novos casos de Covid-19 em Portugal, uma subida diária de 0,37%. Contudo, é a primeira vez desde maio que a maioria dos novos casos não se registou em Lisboa e Vale do Tejo: apenas 47,5% dos novos casos (94) foram observados na área da capital.

O número total de casos é agora de 53.981. Morreram mais três pessoas nas últimas 24 horas, elevando para 1.775 o total de mortes provocadas pelo surto no país. Há agora 39.585 pessoas dadas como recuperadas da doença.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), há 320 pessoas internadas em enfermaria geral e 37 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos. Este último número representa os casos mais graves e que inspiram mais cuidados médicos.

Boletim epidemiológico de 15 de agosto:

Maioria dos novos casos fora de Lisboa

Sucessivamente, ao longo dos últimos meses, a região de Lisboa e Vale do Tejo tem sido fustigada pela pandemia e regista dia após dia a maioria dos novos casos. Essa cadeia foi interrompida este sábado, dia em que a maioria dos novos casos não se registou na região da capital, algo que não se verificava desde 10 de maio. Dos 198 novos casos, 94 são em Lisboa e Vale do Tejo e 104 — mais de metade — foram noutras regiões do país.

Na contabilização deste sábado, Lisboa e Vale do Tejo já registou 27.888 casos e 629 óbitos. O Norte registou 19.419 casos e 839 mortes, o Centro 4.584 casos e 253 mortes, o Alentejo 812 casos e 22 mortes e o Algarve 965 casos e 17 mortes. Nas regiões autónomas, Açores contabilizou 184 casos e 15 mortes e a Madeira já teve 129 casos confirmados e nenhuma morte a lamentar.

Desde 1 de janeiro deste ano que já foram registados 467.868 casos suspeitos, mas 412.624 não se confirmaram. À meia-noite deste sábado, 1.263 pessoas aguardavam resultado laboratorial e 36.268 estavam sob vigilância ativa das autoridades de saúde, por terem estado em contacto com pessoas entretanto diagnosticadas.

(Notícia atualizada pela última vez às 13h53)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais três mortes e 198 casos de Covid-19, a maioria fora da região de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião