Transferências MB Way grátis nas contas low cost a partir de 1 de janeiro

Contas "low cost" vão passar a oferecer, pelo mesmo valor, transferências realizadas através do MB Way, mas só a partir de 1 de janeiro de 2021.

As contas de serviços mínimos bancários (SMN), mais conhecidas como contas low cost, vão mudar. Para se adequarem às necessidades dos clientes bancários, vão passar a oferecer, pelo mesmo valor, transferências realizadas através do MB Way, mas só a partir de 1 de janeiro de 2021.

As contas de SMB, que permitem aos portugueses o acesso a um cartão de débito, à realização de transferências intrabancárias e interbancárias, por uma comissão que não pode exceder 1% do valor do salário mínimo nacional ao final de um ano, vão passar a beneficiar também de transferências grátis através de aplicações de pagamento referida.

Foi no final de julho, no âmbito de um pacote legislativo que acabou com comissões bancárias no MBWay, na rescisão e renegociação de crédito e, em novos contratos, o fim do processamento de prestação, que ficou definida a isenção de comissões nas transferências realizadas através de aplicações de pagamento operadas por terceiros, como o MB Way, até cinco transferências por mês com o limite de 30 euros por operação.

A lei, que promove a sexta alteração às contas de SMB, foi publicada esta quarta-feira em Diário da República. “Entra em vigor no 1.º dia do mês seguinte ao 120.º dia após a data da sua publicação”, lê-se na publicação. Desta forma, será possível aos detentores destas contas low cost passarem a utilizar o MB Way sem custos a partir de 1 de janeiro.

Segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal, no final de junho existiam 117.491 contas de SMB, um número que representa um aumento de 13,4% face ao total existente no final de 2019.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Transferências MB Way grátis nas contas low cost a partir de 1 de janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião