Horários do comércio alargados na região de Lisboa. Veja, concelho a concelho, a que horas fecham agora as lojas

  • ECO
  • 25 Agosto 2020

Governo deu poder às autarquias para fazerem alterações aos horários de funcionamento dos estabelecimentos comerciais. Quase todas as câmaras alargaram as horas de funcionamento.

Se com o estado de emergência, decretado no final de março até ao final de abril, quase todas as lojas tiveram de encerrar, com a redução dos casos de contágio pelo novo coronavírus, as restrições foram sendo lentamente levantadas em todo o país. A Área Metropolitana de Lisboa demorou um pouco mais a ver as restrições aliviadas, mas aos poucos a normalidade está a regressar, mesmo que a pandemia não tenha terminado.

Depois de semanas com horários limitados, o Governo decidiu dar mais um passo rumo ao fim das restrições. Manteve a regra de que o comércio só pode funcionar das 10h00 às 20h00 — exceto os os supermercados que podiam permanecer abertos até às 22h00 e os restaurantes que podiam admitir clientes até à meia-noite, tendo de encerrar à 1h00 –, mas deu às autarquias o poder de os alterarem. E a grande maioria delas está a fazê-lo.

São várias as câmaras municipais que, desde o final da semana passada, têm vindo a anunciar novos horários para as lojas nos seus concelhos. Muitas delas estão a permitir que os negócios estejam abertos até às 22h00, mas também há quem não os tenha alterado: Amadora, Odivelas e Loures anunciaram a manutenção do horário de pandemia, tal como Cascais que admite dar aval a novos horários mediante pedido. Lisboa, bem como Sintra, voltou ao “normal”, enquanto Mafra deu “luz verde” a que as lojas possam manter as portas abertas aos clientes até à meia-noite.

 

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Horários do comércio alargados na região de Lisboa. Veja, concelho a concelho, a que horas fecham agora as lojas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião