Finanças travam venda de imóveis de 265 milhões do ex-BPN

  • ECO
  • 29 Agosto 2020

Decisão de suspender a venda partiu do secretário de Estado das Finanças, João Nuno Mendes. "Projeto Miraflores" está avaliado em 265 milhões de euros.

O Ministério das Finanças travou a venda de uma carteira de imóveis do antigo BPN. Deu instruções à Parvalorem para suspender temporariamente a venda de uma carteira com a designação de “Projeto Miraflores” que está avaliada em 265 milhões de euros, revela o Público (acesso pago).

A decisão de mandar suspender, ainda que com caráter temporário, a venda dos ativos partiu do secretário de Estado das Finanças, João Nuno Mendes. Essa indicação chegou à Parvalorem, sociedade criada para gerir os ativos tóxicos herdados do antigo BPN, nos últimos dias.

O “Projeto Miraflores”, avaliado por peritos independentes em 265 milhões de euros, cuja colocação no mercado foi avançada pelo ECO, contempla dezenas de imóveis, a maioria comerciais (escritórios, lojas e logística), mas também de habitação, e grande parte deles situados em Lisboa e no Porto.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Finanças travam venda de imóveis de 265 milhões do ex-BPN

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião