MDS concretiza compra da angolana Média Seguros

  • ECO Seguros
  • 2 Setembro 2020

Com a transferência da carteira de seguros da mediadora para a corretora angolana MDS Insurance o grupo finaliza esta etapa do reforço das operações no país.

A MDS, concretizou a aquisição da agente de seguro direto angolana Média Seguros, reforçando a sua presença naquele país, onde entrou em 2013 em parceria com um investidor local. Segundo a empresa “a operação enquadra-se na estratégia que aposta no crescimento orgânico e por aquisições, solidificando as posições de liderança nos países onde já está presente e procurando oportunidades em novos mercados, nomeadamente em África”.

Em comunicado, a MDS posiciona a Média Seguros “como um operador de referência no mercado angolano, com importantes clientes no setor agropecuário, meios de comunicação e grandes empresas industriais”. Em maio o grupo já estava a proceder à transferência da carteira da Média Seguros para a MDS Insurance, a nova designação da ISEM, corretora que serviu entrada da MDS em Angola em 2013 em parceria com um grupo angolano.

José Manuel Dias da Fonseca, CEO Global do Grupo MDS, afirma que “Esta aquisição permite à MDS fortalecer a sua presença em Angola e cimentar a sua posição de liderança como um dos três maiores corretores de seguros no país, alargando a sua rede de distribuição e a carteira de clientes, bem como reforçando a sua equipa com profissionais experientes e de valor reconhecido no mercado”.

O CEO refere ainda que esta aquisição “vem potenciar o trabalho que tem vindo a ser realizado na disponibilização das suas competências e soluções de seguro e consultoria de risco, que são essenciais para fomentar a economia angolana e apoiar empresas, particulares e administração pública no seu desenvolvimento”.

O Grupo MDS desenvolve a sua atividade em mais de 100 países a nível mundial, sendo líder de mercado entre as corretoras de seguros em Portugal, tendo papel relevante no Brasil e mais agora em Angola, tendo ainda presença direta em Moçambique, Espanha, Malta e Suíça. O Grupo afirma apoiar mais de 1,2 milhões de clientes a nível mundial, sendo responsável pela gestão de mais de 700 milhões de euros de prémios de seguros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MDS concretiza compra da angolana Média Seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião