Seguradora suíça Atupri passa a aceitar Bitcoin e Ether

  • ECO Seguros
  • 3 Setembro 2020

A Atupri, uma das 15 maiores seguradoras suíças de saúde, vai passar a aceitar pagamento de prémios em criptomoedas. Considera-se pioneira na digitalização e quer clientes já com custos de mineração.

A seguradora de saúde Atupri, com sede em Berna, Suíça, passou este mês a aceitar pagamento de prémios em duas criptomoedas: Bitcoin (BTC) ou Ethereum (ETH). A companhia está no top 15 do país, com cerca de 200 mil clientes, um quinto da líder no ramo que é a Chrétienne sociale suisse (CSS) Assurance. Faturou 800 milhões de euros em prémios em 2019.

A busca da diferenciação levou a Atupri a aceitar criptomoedas, seguindo outras companhias suíças num país considerado muito amigável a esta inovação financeira. A ideia, segundo afirma Caroline Meli, diretora de marketing da companhia, citada em comunicado, aponta vários motivos para enveredarem por este caminho: querem atingir clientes que já tenham custos associados à mineração de criptomoedas e consideram-se pioneiros na digitalização do ramo saúde, por isso antecipam tendências e oferecem soluções seguradoras com perspetiva de longo prazo.

No entanto a Atupri não vai criar uma caixa própria. O modelo é os clientes pagarem à operadora financeira Bitcoin Suisse em criptomoedas e essa operadora entrega à Atupri já em francos suíços. A moda alastra no país, a comuna de Zug, perto de Zurique, já é conhecido pela Cripto Valley, onde transportes públicos e algumas instituições aceitam pagamento em bitcoins. A comuna de Zermatt, famosa pela estância de ski, já aceita impostos pagos em criptomoedas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seguradora suíça Atupri passa a aceitar Bitcoin e Ether

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião