Ford atrai novos clientes com solução pay-per-mile da Metromile

  • ECO Seguros
  • 9 Setembro 2020

A Ford está a disponibilizar aos seus clientes, nos EUA, a oferta de seguro pay-per-mile da Metromile nos novos veículos conectados da marca.

A proposta do construtor automóvel pretende assegurar aos clientes poupanças que já são reconhecidas nos mercados em que a solução pay-per-mile (seguro tarifado em função de quilómetros percorridos), também designado Usage-based Insurance (UBI) vai ganhando adeptos. A parceria com a Metromile torna-se ainda mais oportuna quando os norte-americanos estão a conduzir menos devido às restrições de mobilidade resultantes da pandemia (Covid-19).

No âmbito desta associação, a Ford facilitará o acesso dos clientes à solução de seguro digital da Metromile (via app ou assinatura online), instalando o módulo e tecnologia de conectividade nos automóveis que passarão a ter tarifas de seguro e quilómetros contabilizados através do software da Metromile Enterprise.

Comentando a aliança com o fabricante automóvel, o CEO da Metromile disse tratar-se da primeira parceria do seu género para a empresa, mas espera que outras se sigam. “Dispor de um produto que ajude as pessoas a poupar dinheiro nos tempos atuais é realmente importante. Nós construímos soluções dirigidas às pessoas, em vez dos produtos de seguros dirigidos a categorias de condutores”, observou Dan Preston, citado num artigo da CNBC.

Fundada em 2011, a Metromile gera atualmente mais de 100 milhões de dólares em receitas anuais e tem visto aumentar a adesão de consumidores que conduzem menos e procuram opções de seguro mais baratas e com poupança substancial comparativamente com as apólices tradicionais.

A companhia assume o modelo de negócio SoS (Software-as-Service) e desenvolveu plataforma própria de IA para ativação de apólices e gestão de sinistro. Entre fatores de diferenciação do seu posicionamento, a insurtech americana destaca a redução de perdas ligadas a participações fraudulentas e o aumento da produtividade que proporciona às seguradoras, cujos colaboradores ficam mais livres para atender a experiências de maior impacto na jornada do cliente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ford atrai novos clientes com solução pay-per-mile da Metromile

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião