MetLife compra Versant Health por 1,67 mil milhões

  • ECO Seguros
  • 22 Setembro 2020

Com a aquisição, a MetLife acede a uma carteira com aproximadamente 35 milhões de utilizadores de serviços e marcas da Versant.

A MetLife acordou a compra da Versant Health por 1675 milhões de dólares em dinheiro, cerca de 1,42 mil milhões de euros, prevendo-se que a transação se conclua ainda em 2020, assim que obtenha aval das entidades reguladoras.

A Versant, detentora das marcas norte-americanas Davis Vision e Superior Vision (cuidados saúde e oftalmologia), era até agora propriedade de um grupo de investidores liderados pela Centerbridge Partners e a FFL Partners. No comunicado em que anuncia a transação, a MetLife salienta que mais de 90% da população empregada está interessada em beneficiar de um seguro de saúde cobrindo despesas em oftalmologia. A companhia líder em planos de proteção dirigidos a empresas (group benefits), afirma existir um potencial no mercado de gestão de cuidados da visão (óptica) nos EUA.

Com a aquisição, a compradora acede a uma carteira com aproximadamente 35 milhões de membros ligados aos serviços da Versant, enquanto os clientes de MetLife passam a beneficiar da ampla rede fornecedores das marcas Davis Visione Superior Vision.

Comentando o negócio, Michel Khalaf, presidente e CEO da MetLife, afirma que a aquisição prossegue o objetivo de alocar capital em oportunidades de elevado valor. Com a Versant, temos a solução adequada para desenvolver a estratégia na oferta de benefícios às empresas.” Além de operar em seguros e gestão de património em mais de 40 países, a MetLife tem oferta diversificada para empresas em planos proteção e benefícios sociais (vida e saúde), segmento em que assume 15% do mercado dos EUA, servindo mais de 40 milhões de empregados (e seus dependentes) nos Estados Unidos, segundo dados da companhia.

Presente em Portugal desde 1985, a seguradora americana opera em seguros Vida e Acidentes Pessoais, desenvolvendo igualmente oferta de planos de proteção privados e acordos com empresas em soluções Vida grupo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MetLife compra Versant Health por 1,67 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião