Roubo de bicicletas em Bruxelas pressiona disponibilidade de seguros

  • ECO Seguros
  • 22 Setembro 2020

Como se já não bastasse terem de pedalar nas suas deslocações, os ciclistas que circulam na cidade belga, capital da UE, arriscam ficar sem cobertura de roubo no seguro das suas bicicletas.

Contrariando curva decrescente no resto da Bélgica, o furto de bicicletas na região de Bruxelas tem aumentado. Esta tendência contra a corrente leva a seguradora Aedes, subsidiária da AXA especializada em seguro dos veículos de duas rodas, a ponderar acabar com cobertura de roubo nas apólices oferecidas aos ciclistas.

De acordo com notícia do site Brussels Times, a Aedes prepara-se para deixar de proteger os ciclistas de Bruxelas pelo eventual roubo da bicicleta, a menos que a mantenham bem fechada a cadeado e chave quando não estiver a ser utilizada. Os ladrões não descansam. Seja qual for o tipo de correntes utilizadas no cadeado, o local, ou o número de pessoas presentes nas redondezas, os larápios precisam de “apenas alguns segundos para roubar uma bicicleta,” adverte fonte da companhia.

“Em toda a Bélgica, o número de furtos de bicicletas está a diminuir, exceto em Bruxelas, onde se verificou um aumento de cerca de 15%” nos furtos. “Hoje, temos de tirar esta conclusão: o roubo de bicicletas em Bruxelas está a tornar-se não segurável,” disse Benjamin Martens, porta-voz da seguradora.

Mas a exclusão da cobertura não será para todos, nem definitiva. Se o ciclista tiver um local seguro para deixar a bicicleta, seja dentro de casa ou numa das boxes distribuídas pela cidade, o seguro da Aedes poderá manter-se como alternativa real. Mas se as bicicletas forem deixadas noutros locais da via pública, por mais robusta que seja a sua fechadura, já não serão possíveis de segurar.

A Aedes tem uma carteira de 2 mil segurados titulares de apólice especial para bicicletas (“Pvèlo”). No entanto, só em 2019, 4720 bicicletas foram dadas como roubadas, e o número real está provavelmente mais próximo das 12000, de acordo com a organização ciclista Cyclo, uma vez que muitos proprietários não apresentam queixa, refere a subsidiária da AXA.

De acordo com a seguradora, a estatística de furtos corresponde a 32 bicicletas roubadas por dia, ou 20 vezes mais do que o número de carros roubados, sendo que, apenas 5% das bicicletas roubadas são alguma vez devolvidas aos seus proprietários.

A companhia posiciona-se como líder do mercado belga em seguros para bicicletas, acumulando experiência de 10 anos no negócio. Tomando posição sobre o risco crescente associado à frequência de roubos de bicicletas na região de Bruxelas, a seguradora encetou uma campanha de consciencialização afirmando a necessidade de adotar medidas duras, “mas temporárias, como tentativa de adaptar o produto ao contexto”, assinalava comunicação divulgada em agosto.

“Neste ambiente desfavorável, encontramo-nos num impasse e não temos outra escolha senão tomar medidas fortes rapidamente, para garantir que podemos continuar a cobrir o roubo de bicicletas a longo prazo,” reitera fonte da Aedes citada na imprensa local.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Roubo de bicicletas em Bruxelas pressiona disponibilidade de seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião