Rendas caíram em Lisboa e no Porto. Veja quanto custa o metro quadrado

A pandemia provocou uma descida das rendas no segundo trimestre, mas no acumulado do ano os preços estão mais altos que em 2019. Veja os preços em cada freguesia de Lisboa a Porto.

A pandemia mexeu com o mercado de arrendamento. Depois de um salto no primeiro trimestre, os preços das rendas praticamente estagnaram no segundo. Ainda assim, estão mais altos que no ano passado. Quanto terá de pagar, agora, por cada metro quadrado em cada freguesia das duas maiores cidades do país?

Arrendar uma casa em Lisboa custa atualmente 11,92 euros por metro quadrado. É mais do que há um ano, mas menos 6,4% do que os proprietários exigiam, em média, aos inquilinos no final do primeiro trimestre, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

No topo das freguesias mais caras da capital portuguesa estão Santa Maria Maior e Santo António, com o metro quadrado a custar 13,73 e 14,23 euros, respetivamente. Mas a liderar, com as rendas mais elevadas da capital, está a Misericórdia, com um metro quadrado a fixar-se nos 14,42 euros. Nesta freguesia, arrendar um T2 com 70 metros quadrados pode custar pouco mais de 1.000 euros por mês.

No lado oposto, Marvila e Santa Clara apresentam-se como as mais baratas, com o metro quadrado a custar menos de dez euros. Arrendar o mesmo T2 numa destas freguesias poderá custar cerca de 700 euros.

Valor mediano das rendas por metro quadrado nas freguesias de Lisboa | Fonte: INE

Mais a norte, no Porto, as rendas também caíram, mas menos: -1,1%. O metro quadrado custa atualmente 8,93 euros, refere o INE. O Bonfim é a segunda freguesia mais cara (9,4 euros o metro quadrado), atrás da União das freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, que lidera com rendas de 9,49 euros por metro quadrado. Arrendar um T2 com 70 metros quadrados nesta freguesia custa cerca de 665 euros.

Pelo contrário, Paranhos e Campanhã são as freguesias com as rendas mais baratas: 8,35 e oito euros por metro quadrado. O mesmo T2 custa entre 560 a 585 euros.

Valor mediano das rendas por metro quadrado nas freguesias de Lisboa | Fonte: INE

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rendas caíram em Lisboa e no Porto. Veja quanto custa o metro quadrado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião