Ministra das Finanças de Angola abre conferência dos supervisores de seguros

  • ECO Seguros
  • 6 Outubro 2020

A Associação dos Supervisores de Seguros Lusófonos (ASEL) realiza em Lisboa a 14ª conferência anual em conjunto com a ASF. Será virtual e tem cibersegurança, catástrofes e pandemia como temas.

A Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) em parceria com a Associação de Supervisores de Seguros Lusófonos (ASEL), vai realizar, no próximo dia 8 de outubro, a XXIV Conferência Internacional da ASEL, na qual serão debatidos dois temas principais: “Impacto dos riscos cibernéticos no setor segurador” e “Riscos catastróficos/pandemia COVID-19”.

A sessão de abertura da conferência estará a cargo da Presidente da ASF, Margarida Corrêa de Aguiar, e da Ministra das Finanças de Angola, Vera Daves de Sousa.

O impacto dos riscos cibernéticos no setor segurador será o primeiro tema abordado na Conferência que contará com os contributos de Lino Santos, Coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança e de Rui Shantilal, Managing Partner e co-fundador da INTEGRITY, que farão uma caracterização e uma avaliação dos principais riscos e ciber-ameaças para a atividade seguradora.

Constantino Sakellarides, académico e investigador na área das políticas e serviços de saúde, abre o segundo painel com uma apresentação sobre a evolução da pandemia numa perspetiva científica, seguindo-se uma intervenção de Matthias Marwege, Divisional Director for Iberia and Latin America and Caribbean da Munich RE, sobre o impacto dos riscos catastróficos / pandemia COVID-19 na atividade seguradora.

São membros efetivos da ASEL a ARSEG – Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros, SUSEP – Superintendência de Seguros Privados (Brasil), Banco de Cabo Verde, Autoridade Monetária de Macau, Instituto de Supervisão de Seguros de Moçambique, Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, Banco Central de S. Tomé e Príncipe e Banco Central de Timor-Leste. É membro observador a Direção-Geral de Supervisão de Atividades Financeiras e de Seguros do Ministério da Economia e Finanças da Guiné-Bissau.

Atendendo às circunstâncias impostas pela pandemia e pela necessidade de adoção de medidas de contenção para limitar a propagação da COVID-19, a conferência decorrerá em formato presencial apenas para os oradores, no auditório da ASF em Lisboa, e em videoconferência para os convidados, sendo transmitida em direto através do site da ASF .

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ministra das Finanças de Angola abre conferência dos supervisores de seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião