AXA France anuncia contratação de 5000 pessoas

  • ECO Seguros
  • 11 Outubro 2020

O plano de recrutamento visa a implementação da estratégia de desenvolvimento territorial em França e, parte das contrações, constitui criação líquida de empregos.

O grupo AXA, seguradora francesa com significativa expansão internacional, anunciou um plano para contratar 5000 pessoas em França ainda este ano. A iniciativa enquadra a estratégia da companhia e o programa de recrutamento inclui 1300 vendedores, como parte da sua estratégia de desenvolvimento territorial.

A seguradora oferece mais de 500 posições como agentes de seguros independentes que vão integrar a rede de agentes de seguros gerais no mercado francês. A AXA pretende preencher ainda outras 450 vagas para agentes comerciais, através de contratos de trabalho sem termo (CDI- contrat à durée indéterminée), outras 350 ofertas para trabalhar por conta própria numa base de time-sharing, e mais de 1700 posições no setor dos seguros, dando prioridade aos perfis de atuários, subscritores (profissionais de seguros que decidem aceitar ou não a subscrição de um risco) e responsáveis pela gestão de sinistros dos clientes da AXA France, além de vagas funções ligadas às tecnologias e funções de suporte.

Num comunicado citado na imprensa, a Axa France afirma que “mantém o seu empenho na integração dos jovens no mercado de trabalho, reforçando os programas de estudo-trabalho: tendo recrutado cerca de 1000 jovens trabalhadores-estudantes em setembro de 2020 e até 450 estagiários.”

O grupo AXA distribui a atividade por cinco grandes áreas: seguros Vida; acidentes, poupança e reforma, banca e gestão de ativos. Superando mais de 103 mil milhões de euros de receita anual só na atividade seguradora, o grupo reparte as receitas pela França (25%); resto da Europa (39%), 17% pela Ásia e outros mercados internacionais e 19% pela AXA XL, braço da companhia na oferta de soluções corporate.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

AXA France anuncia contratação de 5000 pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião