Estado espanhol sem “pressa” para vender posição no Bankia-CaixaBank

  • ECO
  • 14 Outubro 2020

A ministra da Economia espanhola, Nadia Calviño, assegura que o objetivo de não alienar a posição de 16% que deterá no banco resultante da fusão é "maximizar valor".

O Estado espanhol não tem pressa para deixar o capital da entidade que resulta da fusão do Bankia e do CaixaBank. A garantia foi dada esta quarta-feira pela ministra da economia, Nadia Calviño, que em entrevista à Bloomberg TV adiantou ainda que o objetivo é “maximizar valor”.

“Não temos pressa” em vender essas ações, fruto do resgate do Bankia e que representarão 16% do capital da futura entidade, insistiu a responsável do Governo de Pedro Sánchez.

A posição do Executivo espanhol é conhecida menos de um mês depois de os dois bancos espanhóis terem selado o “casamento” entre as suas operações. O CaixaBank, dono do BPI, concordou em pagar 4,3 mil milhões de euros num negócio que será concretizado via a absorção do Bankia. Foi ainda acordado que os acionistas do Bankia iriam receber 0,6845 ações do CaixaBank por cada ação que detêm.

O Criteria, controlado pela fundação La Caixa, continuará a ser o principal acionista do CaixaBank com cerca de 30% do banco combinado, enquanto o Estado espanhol deterá 16,1%, contra os 61,8% que detém no Bankia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estado espanhol sem “pressa” para vender posição no Bankia-CaixaBank

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião