Seguros europeus apoiam assinatura digital única na UE

  • ECO Seguros
  • 14 Outubro 2020

O objetivo de melhorar a regulação em torno do eIDAS europeu deve promover uma identificação digital de confiança para todos cidadãos, diz a Insurance Europe defendendo um contributo do setor privado.

A Insurance Europe, federação europeia do setor segurador e de resseguros, apoia um esquema único e universalmente aceite de reconhecimento digital europeu para permitir às pessoas identificarem-se com segurança online, especialmente num contexto transfronteiriço, assume a organização em comunicado.

A posição dos seguros europeus é assumida em resposta a uma consulta da Comissão Europeia conducente à revisão do Regulamento sobre Identificação Eletrónica e Serviços de Confiança (eIDAS), tendo como objetivo principal estabelecer uma base europeia comum para uma interação eletrónica segura, aumentando a confiança e segurança das transações e serviços online na União Europeia, por parte dos cidadãos, operadores económicos e administração pública.

No entanto, a federação europeia de seguros nota a importância de assegurar que este sistema seja complementar às medidas nacionais existentes e já em implementação pública ao nível da assinatura e certificação digital.

O eIDAS “estabelece um conjunto alargado de serviços de confiança, bem como o reconhecimento mútuo transfronteiriço dos meios de identificação eletrónica (eID)”, explica o Gabinete Nacional de Segurança, organismo que funciona sob tutela da Presidência do Conselho de Ministros de Portugal.

Por seu lado, a federação europeia de seguros explica que a utilização da identificação eletrónica para aceder aos serviços públicos em linha pode simplificar o procedimento administrativo, poupar tempo e dinheiro e proporcionar maior certeza quanto à autenticidade da identidade de um utilizador. Contudo, “fatores como a falta de consciência e confiança, bem como o número limitado e o alcance de tais esquemas, limitam atualmente a sua utilização transfronteiriça”, observa a Insurance Europe em comunicado.

As identidades digitais e os processos de autenticação e autorização associados são uma componente essencial do mercado único digital e das economias nacionais e europeias. Por conseguinte, a federação dos seguros europeus acredita que o âmbito do atual Regulamento eIDAS “deve ser alargado ao setor privado para proporcionar condições equitativas na identificação eletrónica”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seguros europeus apoiam assinatura digital única na UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião