Resultados das eleições nos EUA podem não ser conhecidos já

  • ECO
  • 3 Novembro 2020

Este ano, mais de 100 milhões de americanos já votaram antecipadamente, por correspondência ou presencialmente, ou seja, o dobro face a 2016. Os resultados finais poderão tardar em chegar.

O resultado das eleições nos Estados Unidos normalmente é conhecido na noite eleitoral, mas este ano poderá não ser assim.

Nem todos os Estados encerram as urnas de voto ao mesmo tempo. Por exemplo, há uma pequena vila de Dixville Notch que até já garantiu cinco votos a Joe Biden. Depois é necessário contar os boletins, mas a contagem nunca fica totalmente fechada na noite eleitoral, porque é necessário ter em conta os votos antecipados. Ainda assim, a contagem nas urnas costuma ser suficiente para determinar um vencedor.

Este ano, tendo em conta a pandemia, mais de 100 milhões de americanos já votaram antecipadamente, por correspondência ou presencialmente, ou seja, o dobro face a 2016. Uma afluência que os alguns analistas interpretam como uma vontade de mudar.

A contagem dos votos por correspondência tradicionalmente leva mais tempo a contar porque é necessário verificar assinaturas e moradas para garantir que não há qualquer tipo de fraude, um processo que pode levar dias. No entanto, alguns Estados — como a Florida e o Ohio (Estados que garantem, respetivamente, 29 e 18 assentos dos 270 do colégio eleitoral) — permitem que a autenticação se inicie semanas antes do dia das eleições, para que a contagem possa ser feita na própria noite. Por isso, nestes Estados é possível aferir logo quem é o vencedor.

Os analistas antecipam que nos Estados onde a contagem só pode começar a ser feita a partir da noite eleitoral, como Pensilvânia e Wisconsin, os resultados preliminares deverão favorecer Donald Trump, já que os republicanos deverão optar por votar pessoalmente esta terça-feira, votos que são contados mais rapidamente. Cenário oposto nos Estados onde a contagem começa mais cedo, porque há mais democratas do que republicanos inscritos no voto antecipado.

Por isso, os resultados preliminares poderão não dar uma imagem real daquele que será o resultado final. A complicação final seria os resultados serem contestados, seja por processos instaurados devido aos requisitos necessários ao voto por correspondência ou até mesmo devido às alterações implementadas devido à pandemia. E o Presidente Donald Trump já ameaçou que o resultado eleitoral poderá acabar no Supremo Tribunal.

Em 2000, o democrata Al Gore perdeu a Florida e as eleições presidenciais por 537 votos (num total de quase seis milhões). Os votos foram recontados, num processo altamente controverso que durou mais de um mês, e o Supremo Tribunal acabou por decidir a favor do republicano George W. Bush.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Resultados das eleições nos EUA podem não ser conhecidos já

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião