BRANDS' ECO Mercadona aposta na secção de perfumaria e investe 1 milhão de euros

  • BRANDS' ECO
  • 6 Novembro 2020

Os produtos desta secção são resultado dos processos de trabalho conjunto nos Centros de Coinovação da Mercadona, que assinala o projeto com o lançamento da campanha "O que importa não se vê".

A Mercadona investiu na secção de perfumaria, disponibilizando mais de 100 referências entre fragrâncias e produtos de cosmética, desenvolvidos pelos seus Centros de Coinovação e tendo em conta a opinião dos clientes, numa aposta que ascendeu a um milhão de euros.

Para assinalar o projeto, a cadeia de supermercados espanhola lança a campanha “O que importa não se vê”. Esta nasce da ideia de que no mundo da perfumaria se dá valor habitualmente aos elementos visíveis, como a imagem, o design ou a marca. Mas há ainda uma outra parte, porque “O que importa não se vê”, que pretende destacar o trabalho minucioso por trás do processo de elaboração dos produtos da Mercadona, com o objetivo de atingir a máxima qualidade.

Processo de elaboração dos produtos

Em primeiro lugar, há uma fase de Captação em que os especialistas, colaboradores da Mercadona que se encarregam de observar as preferências e necessidades dos clientes na loja ou nos Centros de Coinovação, recolhem todas as informações sobre os desejos e as necessidades dos clientes. De seguida, inicia-se a fase de Definição, na qual essas informações são transferidas para o Departamento de Compras, que envolverá os fornecedores especializados nestes produtos.

Segue-se a fase de Criação, em que, com base nas informações prestadas pelos clientes, são utilizados recursos e matérias-primas com os quais os fornecedores elaboram diferentes propostas de produtos procurando a máxima excelência.

Por fim, é feita uma Seleção das melhores propostas e os especialistas do produto voltam a reunir-se com os clientes para conhecer a sua opinião. E somente os produtos que correspondem ao que o cliente deseja estarão à venda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mercadona aposta na secção de perfumaria e investe 1 milhão de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião