Subida de 3% da EDP leva bolsa de Lisboa a acompanhar ganhos europeus

O entusiasmo em relação aos resultados da investigação da Pfizer continua a sustentar o sentimento nas praças europeias. Lisboa não é exceção.

A Galp Energia corrige após ter recuperado terreno graças à perspetiva de uma vacina para a Covid-19 e depois de várias semanas de perdas. A petrolífera foi uma das principais beneficiadas nas últimas duas sessões, perdendo esta quarta-feira fôlego. Ainda assim, é a energia a dar força à bolsa de Lisboa, que negoceia a valorizar 0,3% para 4.278,53 pontos. O entusiasmo em relação aos resultados da investigação da Pfizer continua a sustentar o sentimento nas praças europeias.

O índice pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,4%, enquanto tanto o alemão DAX como o francês CAC 40 valorizam 0,3%. O espanhol IBEX 35 soma 0,6% e o britânico FTSE 100 ganha 0,2%. O português PSI-20 acompanha o sentimento, com a energia a dar força.

A Galp Energia abriu a ganhar 2,5% para 9,09 euros por ação no valor mais elevado em cerca de dois meses, tendo depois desacelerado o ritmo, passando a negociar junto à linha de água. A tendência altista sentido desde segunda-feira — o ganho acumulado da semana aproxima-se de 26% — segue-se a meses atribulados para a petrolífera causados pela pandemia.

A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva tem acompanhado a tendência no setor e também a reação dos preços do petróleo. O brent de referência europeia sobe 2,57% para 44,73 dólares por barril e o crude WTI valoriza 2,64% para 42,45 dólares.

Ainda entre as energéticas do PSI-20, é assim a valorização de 2,8% da EDP, para 4,477 euros por ação, a dar força ao índice. A EDP Renováveis ganha 1,6% para 16,60 euros e a REN sobe 1,1%.

Em sentido contrário, a Nos trava o índice, com um tombo de 4%, após o Barclays ter cortado a recomendação da ação para underweight (do anterior equalweight) por considerar que o compromisso da Masmovil em entrar no espectro 5G em Portugal terá um impacto negativo nos players existentes e que a contestação do leilão deverá demorar. Além da Nos, também o BCP corrige, a perder 1% para 0,093 euros por ação, e os CTT cedem 1,6%.

A perspetiva de que uma vacina possa pôr fim à pandemia está a animar os investidores, mesmo numa altura em que a Europa está num novo confinamento para travar a segunda vaga do vírus. Além da Pfizer, também esta manhã estão a impulsionar as negociações os dados do setor automóvel na China. A venda de veículos de passageiros no país cresceu 9,3% e a venda de carros elétricos e híbridos aumentou 105% em termos homólogos, em outubro.

(Notícia atualização com novas cotações às 9h)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Subida de 3% da EDP leva bolsa de Lisboa a acompanhar ganhos europeus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião