Negócio fechado. Bruxelas compra à Pfizer 200 milhões de doses de vacina contra Covid-19

A Comissão Europeia anunciou ter fechado o acordo com a Pfizer para a compra de 200 milhões de doses de vacina contra a Covid-19, com opção para mais 100 milhões.

A Comissão Europeia fechou com o consórcio Pfizer/BioNTech um contrato para a compra de 200 milhões de doses de vacina contra a Covid-19, incluindo uma opção para a compra de 100 milhões de doses adicionais. O fornecimento deverá ser assegurado quando esta se comprovar ser segura e eficaz contra o novo coronavírus.

O produto das negociações já era conhecido, mas o contrato só foi fechado esta quarta-feira por Bruxelas, em nome dos Estados-membros, numa semana em que as farmacêuticas revelaram que uma análise inicial mostrou que a vacina pode ter “mais de 90% de eficácia” na prevenção da Covid-19. A informação foi revelada em comunicado.

Segundo a nota da Comissão Europeia, os Estados-membros vão poder decidir doar doses da vacina aos países mais pobres ou redirecioná-las para outros países europeus. “No rescaldo do anúncio promissor da BioNTech e Pfizer sobre as perspetivas da sua vacina, fico muito feliz por anunciar o acordo de hoje com a BioNTech e a Pfizer para comprar 300 milhões de doses da vacina”, afirma a presidente, Ursula von der Leyen.

Fonte comunitária próxima das negociações adiantou à agência Reuters que a UE irá pagar menos de 19,50 dólares por dose, um preço que reflete o apoio financeiro dado pela UE e Alemanha para o desenvolvimento da vacina.

Também esta quarta-feira a diretora do Centro Europeu de Controlo de Doenças, Andrea Ammon, disse que é possível que a vacinação comece no primeiro trimestre de 2021, apesar de admitir que é um cenário “otimista”, de acordo com a Euronews.

Este é o quarto contrato fechado por Bruxelas para a compra de vacinas contra a Covid-19 ainda em fase experimental. Em detalhe, a Comissão Europeia tem acordos assinados para a compra das vacinas da AstraZeneca, da Sanofi e da Johnson & Johnson, e negociou também a aquisição de doses da vacina da CureVac e da Moderna.

A primeira análise aos ensaios clínicos em curso envolvendo a vacina da Pfizer revelaram que esta pode ter mais de 90% de eficácia a proteger da Covid-19. A empresa espera pedir aprovação de emergência no final deste mês, mas ainda é preciso recolher mais informação, além de que não se sabe ao certo quanto tempo dura a proteção que a vacina confere.

Importa ressalvar que esta é uma vacina de duas doses. Após a inoculação da primeira dose, é necessário aguardar 21 dias até à inoculação da segunda dose. Contas feitas, se os resultados conhecidos esta semana conseguirem sustentação, a vacina deverá proteger a maioria das pessoas 28 dias após o início da vacinação.

(Notícia atualizada pela última vez às 15h08)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Negócio fechado. Bruxelas compra à Pfizer 200 milhões de doses de vacina contra Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião