Guinness manda recolher nova cerveja sem álcool devido a contaminação

  • ECO Seguros
  • 15 Novembro 2020

A cervejeira irlandesa pertencente ao grupo Diageo avisa os consumidores que tenham adquirido latas da nova cerveja Guinness 0.0 para não ingerirem a bebida.

A Guinness, fabricante da famosa cerveja irlandesa, emitiu um comunicado informando que decidiu recolher as embalagens metálicas da novíssima variante sem álcool da famosa stout irlandesa – distribuídas recentemente no circuito de retalho no Reino Unido – , devido a suspeitas de contaminação.

A retirada do produto do mercado britânico – o novo rótulo ainda não foi distribuído no mercado irlandês – é descrita como medida “preventiva” e relacionada com uma “contaminação microbiológica.”

A companhia cervejeira de Dublin, controlada pela internacional Diageo, afirmou que o problema detetado na nova bebida não afeta outras variantes e marcas da Guinness, mas adverte os consumidores que já tenham adquirido o novo produto para não o consumirem, reporta o Insurance Journal. A nova cerveja sem álcool foi lançada em outubro, envolta em enorme fanfarra, depois de um processo de desenvolvimento que se prolongou por quatro anos, visando dar resposta à procura crescente por cervejas sem álcool e de baixo valor calórico.

A Guinness 0.0, que junta os mesmos ingredientes base utilizados no fabrico das demais cervejas da marca, cumpre também processo semelhante na fase inicial de maturação. Diferencia-se das restantes porque, em determinada fase do processo de produção, é sujeita um processo de filtragem a frio destinado a reduzir-lhe o teor de álcool.

Antes do seu lançamento, os críticos e especialistas do ramo que provaram a especialidade, disseram que a “Guinness zero-zero” excede as expectativas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Guinness manda recolher nova cerveja sem álcool devido a contaminação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião