BRANDS' ECO Flores&Cerâmica. Um projeto português e 100% handmade

  • BRANDS' ECO
  • 19 Novembro 2020

A arquiteta Joana Marcelino acaba de criar um novo projeto que quer trazer mais personalidade às mesas portuguesas, mesmo a tempo do Natal.

A arquiteta Joana Marcelino trabalha em Portugal mas para o mundo. Com as próprias mãos, desenha coleções de mármore e cerâmica para marcas de estatuto internacional, como Lovetiles, Pavigrés ou Pedrantiqua. Na Biennale Interieur Kortrijk, na Bélgica, ou no Salone Del MobIle, em Milão, já pudemos ver um espelho por si desenhado a pedido de um editor de design belga.

Para 2020 há uma evidente necessidade de reinvenção, transformação, criatividade para que o Natal que aí vem, ainda tão incerto, possa chegar de uma forma especial.

É num contexto 100% português e 100% handmade que nasce o novo projeto da arquiteta, Flores&Cerâmica, que traz às mesas portuguesas muita personalidade, traduzido até em novas cores e ambientes que são sinónimo de tranquilidade.

Flores&Cerâmica, de Joana Marcelino Studio, traduz-se numa coleção de pratos para bolos e jarras, com arranjos ímpares de flores naturais ou naturais desidratadas que perdurem no tempo. A cerâmica, design for Joana Marcelino em parceria com a Maria Portugal Terracota, oferece uma variedade de pratos e jarras em branco mate suave, facilmente integrável em qualquer mood de cada casa ou empresa.

Esta coleção é, assim, a aposta numa decoração especial que defende a produção nacional, com a assinatura de uma arquiteta de renome e da valorização da cerâmica handmade. As peças estão disponíveis em diferentes dimensões, com preços que variam entre 30€ e 100€, podendo ser adquiridas por encomenda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Flores&Cerâmica. Um projeto português e 100% handmade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião