Há menos concelhos nos níveis de risco mais elevado. Veja quais

De acordo com a atualização feita esta quinta-feira pelo Conselho de Ministros há menos concelhos nos níveis de risco mais elevado. Agora estão 109 e não 113.

O Governo voltou a atualizar o nível de risco dos concelhos. Apesar da evolução menos positiva da pandemia que levou o Executivo a travar os festejos de ano novo, há menos concelhos nos dois níveis de risco mais elevado. Até agora eram 113, mas com a nova revisão passaram a ser 109. No nível risco extremamente elevado estão 30 e no risco muito elevado estão 79.

No risco elevado estão 92 concelhos e 77 estão no nível de risco moderado.

Esta revisão em baixa já era esperada tendo em conta os dados mais recentes da Direção Geral de Saúde. A taxa de incidência de casos acumulada entre 25 de novembro e 8 de dezembro, revelada na segunda-feira, indicava que havia menos dez concelhos em que o número de casos registados eram inferiores a 960 por 100 mil habitantes. No boletim anterior, com dados referentes à distribuição de casos de infeção, para o período entre 19 de novembro e 2 de dezembro, Portugal tinha 35 concelhos nesta situação.

Aguiar da Beira e Alter do Chão passaram a integrar a lista dos concelhos de risco extremamente elevado. Um movimento seguido também por Castelo de Vide, Crato, Monforte, Mortágua, Mourão, Oliveira de Azeméis, Penamacor, Pinhel, Santa Marta de Penaguião, Tabuaço e, Vila Pouca de Aguiar e Vimioso. Ou seja, entraram 14 concelhos para o nível mais grave.

Em sentido inverso, 20 concelhos desceram de nível. A saber: Belmonte, Braga, Cabeceiras de Basto, Espinho, Fafe, Felgueiras, Frei de Espada à Cinta, Lousada, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Corvo, Nisa, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Portalegre, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, São João da Madeira, Valença e Vizela.

(Artigo atualizado às 22h20)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há menos concelhos nos níveis de risco mais elevado. Veja quais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião