Insurtech francesa Luko angaria 50 milhões em ronda de série B

  • ECO Seguros
  • 10 Janeiro 2021

Num ano, a start-up francesa com propostas inovadoras no seguro casa arrecadou 70 milhões de euros de financiamento e, ao mesmo tempo, multiplicou por 5 a carteira de clientes até aos 100 mil.

Fundada há dois anos e cerca de um depois da ronda de série A, através da qual angariou 20 milhões de euros de financiamento, a Luko arrecadou, em dezembro de 2020, mais 50 milhões de euros em ronda de série B, desta vez liderada pela EQT Ventures, além de investidores já comprometidos com a startup francesa de seguros, entre os quais a Speedinvest, Founders Fund, Accel e o angel Assaf Wand, CEO e cofundador do unicórnio norte-americano Hippo Insurance.

No mesmo período, a Luko, uma startup dedicada aos seguros habitação para inquilinos e proprietários, cresceu de 20 mil para uma carteira com 100 mil clientes. Os recursos captados na última ronda de financiamento serão destinados a desenvolvimento de produto, contratação de até 80 colaboradores e expansão europeia.

O crescimento da insurtech francesa é modelado em torno de um esquema de retribuição, de base giveback (devolução à sociedade), que a empresa realça enquanto prática de valor social relevante. Desde o seu primeiro dia, 70% dos prémios que a Luko cobra a cada segurado são reunidos com os dos demais clientes, constituindo uma pool de reserva utilizada para pagar compensações de sinistros. Os outros 30% vão para os custos de gestão da Luko. No final de cada ano ano, o valor de prémios remanescente na pool (que não tenha sido utilizados para indemnizações) é doado a instituições de caridade escolhidas pelos segurados.

“A nossa visão a longo prazo é ajudar a construir e democratizar as casas sustentáveis de amanhã, permitindo a todos viver em casa com paz de espírito”, diz o CEO e co-fundador Raphaël Vullierme.

Para além dos seguros (habitação, imóveis e trotinete), a startup está a desenvolver o seu próprio hardware e tecnologia de IA para oferecer ferramentas inteligentes de gestão doméstica, tais como sensores para rastrear fugas de água e consumos de eletricidade. O seu produto mais recente, o Doctor House, oferece um serviço de consulta em vídeo, com conselhos especializados sobre como cuidar da própria casa e retardar o desgaste de equipamentos domésticos.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Insurtech francesa Luko angaria 50 milhões em ronda de série B

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião