“Vamos chegar ao fim disto com a Justiça completamente de rastos”, diz bastonário

  • ECO
  • 31 Janeiro 2021

O bastonário da Ordem dos Advogados está preocupado com o impacto da pandemia de coronavírus na Justiça, que já leva anos de atrasos.

Luís Menezes Leitão está preocupado com o impacto da pandemia de coronavírus na Justiça. Em entrevista ao Diário de Notícias, o bastonário da Ordem dos Advogados adianta que o confinamento da primavera de 2020 resultou em 64 mil diligências adiadas, o que se traduziu “num colapso dos julgamentos”. O novo confinamento que o país atravessa promete, consequentemente, agravar essa situação, mas o responsável sublinha que, neste momento, não há mesmo condições para os tribunais continuarem abertos para processos comuns.

“Quando se começou a falar em confinamento, a Ordem dos Advogados achou que [os tribunais] não deviam fechar. A experiência do anterior confinamento foi caótica, com 64 mil diligências adiadas, o que se traduz num colapso dos julgamentos. Mas quando a pandemia se agravou desta maneira e hoje se multiplicam os surtos nos tribunais, torna-se visível que não há condições de funcionamento”, diz Menezes Leitão.

O bastonário salienta que estes atrasos da pandemia vêm juntar-se a atrasos que já levam anos, daí que antecipe que “vamos chegar ao fim disto com a Justiça completamente de rastos”. “É preciso ter consciência desta situação calamitosa”, observa. Em entrevista, o responsável queixa-se ainda da desatenção da ministra e atira que há “centralidade excessiva deste ministério à situação dos magistrados”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Vamos chegar ao fim disto com a Justiça completamente de rastos”, diz bastonário

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião