CUF fechou 2020 com prejuízos de 23,8 milhões

A CUF passou de lucros a prejuízos em 2020. A pandemia levou a uma redução da atividade, mas as parcerias público-privadas pesaram também no desempenho.

A CUF registou prejuízos de 23,8 milhões de euros em 2020, um ano marcado pela pandemia que levou a uma “redução de atividade” nos hospitais do grupo. O segundo semestre de 2020 já permitiu alguma “retoma e recuperação da atividade assistencial”, no entanto não foi suficiente para colocar as contas do grupo no verde.

Na segunda metade do ano, verificou-se “um crescimento da atividade face ao período homólogo”. No entanto, “tendo em conta a redução da atividade registada no 1.º semestre, que gerou um impacto significativo nas contas consolidadas da CUF, o desempenho global do ano é negativo”, sinaliza a CUF, no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A CUF passou assim de lucros de 29 milhões de euros em 2019 para um resultado líquido consolidado negativo em 23,8 milhões de euros em 2020. Para além da pandemia, “este resultado foi também prejudicado pela constituição de perdas por imparidade e de provisões relacionadas com os contratos das PPP do Hospital Vila Franca de Xira e do Hospital de Braga (13,7 milhões de euros)”, indicam.

Os gastos operacionais diminuíram 19% no ano passado, enquanto os rendimentos operacionais consolidados chegaram aos 533,5 milhões de euros, menos 24% do que em 2019. Já se se excluir a atividade da Parceria Público-Privada (PPP) de Braga “e os seus efeitos extraordinários em 2019, a diminuição dos rendimentos operacionais face a 2019 é de 6,8%, refletindo o impacto da pandemia de Covid-19”.

O resultado operacional do segmento público sido da CUF foi negativo em 20,7 milhões de euros, sendo que o desempenho da PPP do Hospital Vila Franca de Xira, gerida pela CUF, foi “também fortemente impactado pela pandemia”.

Quanto ao EBITDA, ou seja, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização, este foi de 44,3 milhões de euros, menos 54,7% face a 2019. Isto deveu-se “à quebra da atividade e manutenção da capacidade total disponível assim como da totalidade dos recursos humanos (não tendo recorrido a qualquer lay-off)”, nota a CUF.

Já o total de investimento realizado em 2020 foi de 96,8 milhões de euros, contemplando obras e equipamentos dos hospitais CUF Tejo, CUF Sintra e expansão da CUF Torres Vedras.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CUF fechou 2020 com prejuízos de 23,8 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião