Dívida pública sobe para recorde de 137,1% do PIB no primeiro trimestre

A dívida pública, na ótica de Maastricht, subiu 1,2 mil milhões de euros em março para os 275,3 mil milhões de euros. O rácio subiu para um novo máximo de 137,1% do PIB no primeiro trimestre.

A dívida pública, na ótica de Maastricht (a que interessa a Bruxelas), aumentou 1,2 mil milhões de euros em março para os 275,3 mil milhões de euros, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal (BdP). Em fevereiro, a dívida pública tinha atingido um recorde nos 274,1 mil milhões de euros, tendo aumentado 4,2 mil milhões de euros decorrente de uma emissão sindicada de três mil milhões de euros. O rácio terminou o primeiro trimestre num novo recorde: 137,1% do PIB.

Em março de 2021, a dívida pública situou-se em 275,3 mil milhões de euros, mais 1,2 mil milhões de euros face ao mês anterior“, revela o banco central, especificando que “esta subida da dívida pública refletiu essencialmente emissões de títulos de dívida”. Entre as emissões do IGCP em março esteve o financiamento de 625 milhões a 10 anos.

Quanto ao rácio de endividamento público, este subiu 3,5 pontos percentuais no primeiro trimestre face ao quarto trimestre de 2020 (133,6% do PIB). Este é o resultado de dois efeitos: por um lado, o PIB contraiu 3,3% no primeiro trimestre face ao quarto trimestre; por outro lado, o montante mensal da dívida pública cresceu 4,8 mil milhões de euros no primeiro trimestre.

Rácio da dívida pública sobe mais de 20 pontos percentuais desde o início da pandemia

Fonte: Banco de Portugal.

Apesar desta subida no início de 2021, a expectativa é que o rácio diminua nos próximos trimestres caso se confirme a forte recuperação da economia, dado que os economistas antecipam já um crescimento homólogo e em cadeia do PIB no segundo trimestre deste ano. A previsão do Governo é chegar ao final do ano com um rácio da dívida pública de 128% do PIB, menos 5,6 pontos percentuais do que o de 2020. Esta previsão tem subjacente um crescimento anual da economia de 4% e um défice de 4,3% do PIB em 2021.

As previsões do Conselho das Finanças Públicas e do Fundo Monetário Internacional são menos abonatórias, mas ainda assim antecipam uma redução do peso da dívida face à economia: o rácio fecha 2021 em 131,5% do PIB, no caso do CFP, e em 131,4% do PIB, no caso do FMI.

Sobre os dados mensais, os números do banco central revelam ainda que os ativos em depósitos das administrações públicas baixaram 400 milhões de euros para os 24,8 mil milhões de euros. Assim, a dívida pública líquida de depósitos aumentou 1,6 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 250,5 mil milhões de euros.

Stock de dívida pública sobe 4,8 mil milhões no primeiro trimestre

Fonte: Banco de Portugal.

A próxima atualização dos dados do endividamento público ocorre a 1 de junho.

(Notícia atualizada às 11h21 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dívida pública sobe para recorde de 137,1% do PIB no primeiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião