É cliente do Novo Banco? Comissões sobem a partir de hoje

Cartões de crédito e de crédito e cheques vão ficar mais caros a partir de agora. Saiba a que outras operações bancárias deve estar mais atento a partir de agora.

A partir desta sexta-feira, dia 7 de maio, entram em vigor as alterações feitas pelo Novo Banco ao seu preçário. E os clientes desta instituição bancária devem estar preparados para um aumento generalizado das comissões bancárias de vários produtos e serviços. Cartões de crédito e de crédito e cheques vão ficar mais caros a partir de agora. Mas os clientes deste banco também poderão esperar aumentos nos custos de manutenção de conta. Saiba a que operações bancárias deve estar mais atento a partir de agora.

Acabam isenções de comissão para clientes com mais dinheiro nas contas normais

Até agora, os detentores de uma conta de Depósito à Ordem Normal com saldos superiores a 35 mil euros estavam isentos de pagar comissões, algo que vai deixar de acontecer. Nestes casos, o Novo Banco vai passar a cobrar uma anuidade de 12 euros, com a cobrança a ser realizada trimestralmente.

Ainda nas contas de Depósito à Ordem Normal, uma comissão única no valor de 62,3 euros passará a ser aplicada a contas cujo saldo for até aos 35 mil euros. Neste momento, o encargo para os clientes é de 65 euros ou de 15 euros, “de acordo com o envolvimento de recursos”.

Contas pacote também sofrem aumentos

A partir deste dia 7 de maio, os clientes detentores de contas pacote vão registar agravamentos entre os 20 cêntimos e os 40 cêntimos, mediante tenham uma conta com ou sem bonificação.

Deste modo, os clientes com Conta NB 100%, NB Seleção, NB 100% 55+, NB 100% 18,31 ou Conta Vencimento Empresa vão sofrer um agravamento do preço na ordem dos 7,3% face àquilo que pagam atualmente. Isto porque, no caso das contas com bonificação, os clientes passam a pagar 2,95 euros, valor que sobe para os 5,9 euros no caso das contas sem bonificação. Por ano, estes aumentos resultarão num custo extra de 4,8 euros (sem bonificação) e de 2,4 euros (sem bonificação).

No caso de um outro leque de produtos — como é o caso da Conta NB 360º, Conta NB 100% Gold RE (para não residentes), e das contas descomercializadas NB 100% Gold, Conta 360º Academia, EasyNB — as subidas nos custos de manutenção serão de 5,3%. Os encargos mensais passarão a ser de 7,9 euros nas contas sem bonificação e de 3,95 euros nas contas com bonificação. Antes destas alterações no preçário, os custos eram mais baixos, de 7,5 euros e de 3,75 euros, respetivamente.

Também os detentores de contas destinados aos mais jovens ou a estudantes universitários se passarão a registar encargos acrescidos. Na Conta NB UP, destinado a pessoas até 30 anos que frequentem o ensino universitário, o custo mensal passará a ser de 5 euros — sendo que, até agora, estava em causa uma isenção do pagamento desta comissão. Na Conta NB 18.31, dirigida a jovens com idades compreendidas entre os 18 e 31 anos, os encargos sobem para os 5 euros nas contas sem bonificação, quando eram, até agora, de apenas 3 euros.

Custos aumentam nos cheques e cartões

Os aumentos nas comissões serão também sentidos por parte daqueles que ainda costumam recorrer aos cheques. Neste âmbito, os aumentos serão acima dos 10% no que toca aos preços associados à requisição ou entrega de módulos, sendo variável consoante o tipo e o número de cheques pedidos.

Por sua vez, também os cartões de crédito deste banco vão passar a custar mais. 22,5 euros passará a ser o valor pedido pela substituição de um cartão de crédito NB Verde ou NB Branco, bem como de outros cartões Gama Classic. Está em causa uma subida de 2,5 euros em relação ao seu custo atual.

Algo semelhante acontecerá com os cartões de débito. Uma comissão de 17 euros será aplicada a todos os pedidos de disponibilização NB Débito na Hora — uma subida na ordem dos 70% face aos 10 euros que custam atualmente. Um agravamento de 50 cêntimos, para os 20 euros, será também sentido no caso dos NB Débito e NB @Work. Também o cartão Pocket NB vai custar mais 2,5 euros, fixando-se o seu preço nos 12,5 euros. A substituição destes cartões vai também ficar mais dispendiosa, mostra-nos o novo preçário do Novo Banco.

Outros serviços, como é o caso da produção urgente do cartão, a reatribuição de PIN e o pedido de comprovativos, nomeadamente de declaração de dívida, também ficam agora mais dispendiosos.

Transferências internacionais podem ficar mais caras

A partir desta sexta-feira, as transferências a crédito realizadas ao balcão para países que não fazem parte do espaço SEPA podem ser mais custosas para quem as realizar. Para transferências até ao montante de 150 euros, os encargos associados a esta operação sobem 5 euros, passando a fixar-se nos 20 euros.

Porém, o Novo Banco optou por passar a não cobrar comissões sobre as operações realizadas com recurso ao MB Way, estando os clientes isentos de qualquer comissão nestas transações. Até agora, os clientes do banco tinham de pagar 0,15 euros para realizar transferências instantâneas através da aplicação.

Nas transferências internacionais realizadas com recurso ao MB Way, os clientes passarão a pagar uma percentagem maior. Até ao momento, 2,10% do montante da operação era cobrado como comissão adicional de processamento da transação. Agora, a percentagem subiu para os 2,50%, mas apenas para as transações de natureza internacional.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

É cliente do Novo Banco? Comissões sobem a partir de hoje

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião