Mais jovens nas Forças Armadas por causa da crise e desemprego

  • ECO
  • 10 Maio 2021

Pela primeira vez numa década, as Forças Armadas registam um aumento do número de efetivos. Existiram quase 800 novas entradas só num ano.

São cada vez mais os jovens a entrar nas Forças Armadas, numa altura em que estão também menos profissionais a sair da carreira militar. De acordo com o Jornal de Notícias (acesso pago), as associações de militares justificam este fenómeno com a crise económica causada pela pandemia, bem como pela “falta de alternativas” de emprego.

Pela primeira vez numa década, as Forças Armadas registam, assim, um aumento do número de efetivos. Em 2020, eram 662 a mais em comparação com o ano anterior, tendo havido quase 800 novas entradas, mostram dados da Direção-Geral da Administração e Emprego Público (DGAEP). Uma tendência que foge à regra registada nos anos anteriores, quando existia um consecutivo decréscimo anual na ordem do milhar de funcionários, em média.

Para além do aumento do número de novas incorporações, também a possibilidade de prorrogar contratos, que resultou em 281 contratos que foram estendidos, bem como uma diminuição das saídas voluntárias, que foram menos 1189 do que em 2019, estão também por por detrás destes números, revela a tutela.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mais jovens nas Forças Armadas por causa da crise e desemprego

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião