Fez um autoteste à Covid? Plataforma para comunicar resultado já está a funcionar

Já está em funcionamento a plataforma que permite aos cidadãos reportarem os resultados dos autotestes de despiste à Covid-19.

Entrou esta quinta-feira em funcionamento a plataforma online que permite aos cidadãos reportarem os resultados dos autotestes de despiste à Covid-19 que começaram a ser vendidos nas farmácias e parafarmácias portuguesas para utilização da população em geral. Até agora, os utentes apenas podiam comunicar os resultados positivos ou inconclusivos a partir da linha SNS 24, pelo que os resultados negativos podem agora também ser comunicados.

“A partir deste momento, todos os resultados dos testes rápidos de antigénio realizados pelos cidadãos, nomeadamente com resultado negativo, passam também a poder ser comunicados às Autoridades de Saúde através do preenchimento de formulário eletrónico”, que está disponível no portal Covid, criado pelo Governo, informa a Task Force da Testagem, em comunicado.

Até agora, o atraso no lançamento desta plataforma estava a dificultar o reporte dos resultados negativos, já que os resultados positivos ou inconclusivos podiam ser comunicados através da linha SNS24. Não obstante, o instituto liderado por Fernando Almeida explica que os utentes que tenham um teste positivo ou inconclusivo devem, depois de registarem na plataforma o resultado do teste, contactar a linha SNS24 e seguir as orientações emanadas pelos profissionais de saúde.

A nova plataforma permitirá, por exemplo, perceber se um utente com resultado positivo ligou para o SNS24 nas 12 horas seguintes ao reporte. Em caso de ausência de reporte, será enviada uma SMS a solicitar esse contacto”, destaca a Task Force da Testagem, na nota de imprensa.

Ao mesmo tempo, as autoridades de saúde relembram que “qualquer resultado positivo ou inconclusivo em pessoa assintomática, que não tenha tido contacto com um caso confirmado nos últimos 14 dias, desencadeia a emissão de teste confirmatório” PCR desde que o cidadão não tenha sido diagnosticado com Covid-19 nos 90 dias anteriores, isto é, três meses.

Ao mesmo tempo, as autoridades de saúde apontam que os “autotestes não se destinam a indivíduos sintomáticos ou com exposição conhecida a SARS-CoV-2”, pelo que mesmo que estes cidadãos realizem um teste rápido devem contactar a linha SNS24, independentemente do resultado.

Por fim, a task force reforça que mesmo em caso de resultado negativos, o autoteste não dispensa a manutenção das medidas de contenção, como o distanciamento físico, a utilização de máscara e a higienização das mãos.

No início de abril, o Governo permitiu que os testes rápidos antigénio pudessem ser adquiridos por pessoas com mais de 18 anos, sem a supervisão de um profissional de saúde, nas farmácias ou outros locais autorizados à venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, na sequência de regime excecional aprovado pelo Executivo.

Na altura, Infarmed, INSA e Direção-Geral da Saúde (DGS) emitiram uma norma a referir que os resultados positivos ou inconclusivos dos autotestes deviam ser comunicados à linha SNS24. O documento das autoridades de saúde dava também a possibilidade de estes resultados serem comunicados “em formulário eletrónico” que seria disponibilizado “oportunamente” no site do Governo dedicado à Covid, situação que se veio a verificar esta quinta-feira.

(Notícia atualizada às 13h32)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fez um autoteste à Covid? Plataforma para comunicar resultado já está a funcionar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião