Portugal avança com certificado de vacinação na segunda quinzena de junho

Marta Temido referiu ainda que a incidência do vírus no concelho de Lisboa está "acima" da região de LVT, pelo que a situação "preocupa" as autoridades de saúde dada a densidade populacional.

A ministra da Saúde adiantou esta segunda-feira que o certificado digital de vacinação poderá começar a ser usado na segunda quinzena de junho, apesar de só entrar em vigor em toda a União Europeia a 1 de julho. “Contamos ter os testes concluídos esta semana e estar em condições de começar a fazer alguns avanços já na segunda quinzena do mês de junho — independentemente daquilo que seja a entrada em vigor no dia 1 de julho”, referiu no final da visita à Unidade de Cuidados Continuados Integrados da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia da Batalha, em declarações transmitidas pela RTP3.

Não obstante, Marta Temido sinalizou que as regras por trás do certificado e a implementação do mesmo são duas questões que ainda têm que ser resolvidas.

A ministra da Saúde disse ainda que a região de Lisboa e Vale do Tejo está com uma incidência de 100 novos casos por 100 mil habitantes e que o concelho de Lisboa “tem estado acima” desse valor, pelo que é uma situação que “preocupa” as autoridades de saúde nomeadamente pelo facto de este município ter uma “elevada densidade populacional” e uma população mais jovem.

“Todas as semanas fazemos uma avaliação da situação epidemiológica, neste momento o risco de transmissão efetivo (Rt) de acordo com o último relatório do Instituto Ricardo Jorge está em 1,08 no país e estamos como uma incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias que está em 100 em Lisboa e Vale do Tejo“, referiu Marta Temido.

Além disso, a ministra da Saúde assinala que o concelho de Lisboa “tem estado acima deste valor”, pelo que é uma situação que “preocupa face à elevada densidade populacional”, bem como ao facto de ter uma “população muito jovem que se movimenta com muita facilidade e onde e é fácil a transmissão”.

Nesse sentido, a governante apela à população que “cada um faça o seu papel” e reitera que a prioridade é reforçar a testagem neste concelho. Recorde que, segundo o último balanço realizado pela DGS, o concelho de Lisboa tinha uma incidência de 181 casos por 100 mil habitantes.

Questionada sobre o facto a possibilidade as crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos virem a ser vacinadas em Portugal, Marta Temido aponta não se quis alongar, referindo que “estamos a avançar para faixas etárias mais novas” e que “temos um caminho para continuar a fazer”. “É uma questão de tempo”, sinalizou.

Ao mesmo tempo, a ministra da Saúde destacou ainda que neste momento já foram administradas mais de seis milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em Portugal, entre as quais “3,8 milhões de primeiras doses e 2,2 milhões de segundas doses”. Assim o país tem já “22% já imunizada e 40% com uma primeira dose”, salientou.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal avança com certificado de vacinação na segunda quinzena de junho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião