Ranking 1º trimestre: Os 4 maiores grupos seguradores perdem quota de mercado

  • ECO Seguros
  • 18 Junho 2021

2021 começou a crescer 6%, com o ramo Vida a animar as vendas do setor, mas Fidelidade, Ageas, Tranquilidade e Santander perderam 71 milhões para a concorrência. Este é o ranking findo o 1º trimestre.

Os quatro maiores grupos seguradores em Portugal perderam 2,8% de quota de mercado no 1º trimestre de 2021 face a igual período do ano passado. Apesar de terem registado pequeno crescimento, essa perda conjunta significou 71 milhões de euros faturados pelos seus concorrentes que, a manterem-se as proporções do mercado, seriam da Fidelidade, Ageas, Generali/Tranquilidade e Grupo Santander. Estes dados agora divulgados pela ASF, entidade supervisora do setor, são os primeiros que comparam períodos iguais pré e pós-covid: O 1º trimestre de 2020 e 2021. Indicam uma subida geral da produção do mercado de 6%, com as companhias exclusivamente dedicadas ao ramo Vida a crescerem 6%, as seguradoras mistas – exploram ramos Vida e Não Vida – a aumentarem 10% as suas vendas enquanto as companhias apenas envolvidas em ramos Não Vida baixaram 4%, confirmando a relação direta destes ramos com a atividade económica.

O ranking apresentado por grupos seguradores inclui as 37 companhias que operam em Portugal sob supervisão da ASF, não incluindo, como é caso da listagem habitualmente distribuída pela APS – Associação Portuguesa de Seguradores, as companhias que não estão sob jurisdição portuguesa. Este facto implica que companhias muito ativas no mercado nacional não estejam a ser analisadas neste ranking, como é o caso da Zurich Seguros, onde são registadas todas as vendas Não Vida, incorporada por fusão na Zurich Insurance filial irlandesa em 2010. Também ausente está toda a produção da Liberty Seguros que foi incorporada em 2018 na Liberty Espanha e da MetLife que, em 2013, transferiu a carteira portuguesa do ramo Vida para a sucursal irlandesa e a sua carteira Não Vida para a sucursal de Espanha.

A agregação das seguradoras por 22 grupos é da responsabilidade de ECOseguros e os resultados são a adição da produção das diferentes seguradoras de cada grupo, ou individualmente quando é o caso. As maiores alterações do primeiro trimestre de 2021 relativamente a 2020 deram-se nos quatro maiores grupos com Fidelidade a baixar 1,1%, Grupo Ageas (-0,4%), Generali/Tranquilidade (-0,6%) e Grupo Santander (-0,8%), levando este último a ser ultrapassado pela Allianz que ganhou cresceu 14% ganhando 0,5% de quota de mercado total.

No lado das subidas, para além da Allianz se tornar a 4ª maior companhia ou grupo, também foi relevante o crescimento de 25% da BPI Vida e Pensões, de 16% na Lusitania, de 28% no grupo CA – Crédito Agrícola, de 27% na Zurich, de 33% na Real Vida e de 20% na Caravela. A Planicare, seguradora de saúde que nasceu em 2019, está em crescimento acelerado a partir do zero, enquanto a Abarca, especializada em seguros de caução, mais que duplicou a sua produção face ao 1º trimestre de 2020. A UNA cresceu 10%, desempenho acima do mercado.

Abaixo do crescimento do mercado ou mesmo com decrescimento, o período não registou desempenho expressivo da GamaLife, Victoria, Mapfre, GNB Seguros, Cosec, Mútua dos Pescadores e RNA. No entanto, a produção tem efeitos de sazonalidade variável para cada companhia.

O ranking por grupos do 1º trimestre de 2021 e comparação com 2020 é o seguinte:

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ranking 1º trimestre: Os 4 maiores grupos seguradores perdem quota de mercado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião