Modelo híbrido reduz risco de prejudicar quem prefere teletrabalho

  • ECO
  • 21 Junho 2021

O modelo híbrido, conjugando trabalho remoto com trabalho presencial, tem um "potencial inexplorado" que a pandemia veio trazer ao de cima, conclui estudo do Bruegel.

Um estudo do instituto Bruegel concluiu que a adoção de um modelo de trabalho híbrido generalizado por toda a empresa é a melhor forma de ter ganhos de bem-estar sem prejudicar quem prefere o teletrabalho. Caso não haja uma adesão generalizada do modelo que combina regime presencial com teletrabalho, os trabalhadores que preferem teletrabalho podem ficar em desvantagem.

O estudo noticiado esta segunda-feira pelo jornal Público (acesso condicionado) conclui ainda que este modelo tem um “potencial inexplorado” que a pandemia veio trazer ao de cima. A expectativa é que o modelo híbrido possa ganhar força após esta fase, mantendo os ganhos de fazer alguns dias em teletrabalho sem criar desvantagens para alguns.

Um dos problemas identificados pelos investigadores é o chamado “dilema do prisioneiro”. Em causa está o receio dos teletrabalhadores de ficarem para trás no desenvolvimento da sua carreira face aos seus colegas que não optam pelo trabalho remoto. Neste caso, o estudo aponta que, por causa desse dilema, acaba por haver menos teletrabalho na empresa face ao que seria desejável, o que tem consequências no salário e na satisfação com o trabalho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Modelo híbrido reduz risco de prejudicar quem prefere teletrabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião