Táxis e “Ubers” mantêm acrílicos entre condutor e passageiros até fim do ano

  • Lusa
  • 30 Junho 2021

Os táxis e os veículos das plataformas eletrónicas ("Ubers") vão manter até 31 dezembro de 2021 o uso de separador entre o condutor e os passageiros para proteção contra a Covid-19.

Os táxis e os veículos das plataformas eletrónicas (TVDE) — vulgarmente conhecidos por “Ubers” — vão manter até 31 dezembro de 2021 o uso de separador entre o condutor e os passageiros para proteção contra a Covid-19, segundo uma deliberação do Governo publicada esta quarta-feira.

De acordo com a deliberação publicada em Diário da República, no transporte em táxi e no transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica (TVDE) deverá manter-se o uso de um separador “entre o espaço do condutor e o dos passageiros transportados no banco da retaguarda”.

A medida agora publicada é a segunda prorrogação da inicialmente tomada em 7 de abril de 2020, altura em que foi adotado o procedimento simplificado que permite a instalação, em táxis e nos TVDE, de separadores entre o condutor e os passageiros transportados no banco da retaguarda, para proteção dos riscos inerentes à transmissão da Covid-19.

“Constatando-se que, no âmbito da atual estratégia de levantamento de medidas de combate à pandemia da doença Covid-19, continuam a existir municípios que, com base nos critérios epidemiológicos de definição do controlo da pandemia, são qualificados como conselhos de risco elevado ou conselhos de risco muito elevado, considera-se que continua a justificar-se a manutenção das medidas de proteção daqueles profissionais para os riscos inerentes à transmissão do Covid-19, através da prorrogação do prazo previsto no n.º 9 da Deliberação n.º 441 -A/2020”, pode ler-se.

A deliberação governamental entra em vigor a partir de quinta-feira.

A instalação dos separadores é autorizada pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes e não carece de aprovação nem de averbamento no Certificado de Matrícula, tratando-se de uma medida temporária de caráter excecional, inicialmente até 31 de dezembro de 2020, depois até 30 de junho de 2021 e, agora, até 31 dezembro de 2021.

Desde o início de abril de 2020 que as condições de circulação dos táxis foram limitadas a uma ocupação máxima de dois terços da lotação dos veículos, devendo os bancos dianteiros ser utilizados apenas pelo motorista.

A estas medidas acresce um conjunto de normas emitidas pela Direção-Geral da Saúde, nomeadamente no que respeita à limpeza e desinfeção diária dos veículos, à limpeza de puxadores, portas e restantes superfícies internas de contacto direto com o passageiro após cada utilização, assim como a disponibilização aos passageiros de uma solução antisséptica de base alcoólica ou solução à base de álcool.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Táxis e “Ubers” mantêm acrílicos entre condutor e passageiros até fim do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião