BCE já é dono de quase metade da dívida portuguesa

  • ECO
  • 8 Agosto 2021

As aquisições de obrigações e bilhetes do Tesouro dispararam após a pandemia. Banco Central Europeu e Banco de Portugal já serão donos de 46% da dívida pública, segundo cálculos do jornal Público.

O impacto orçamental da pandemia fez disparar as necessidades de financiamento do Estado e as emissões de títulos de dívida no mercado. Mesmo assim, os juros de Portugal não subiram porque o BCE, através do Banco de Portugal, comprou mais do dobro do que foi emitido, segundo noticia o Público (acesso pago).

Entre Março de 2020 e o final de julho deste ano, as compras líquidas de títulos de dívida pública realizadas pelo Banco de Portugal atingiram 33,26 mil milhões de euros. Uma soma que é mais do dobro das emissões líquidas realizadas pelo Estado português no mesmo período.

De acordo com os cálculos feitos pelo jornal, com base em informação do BCE e do Tesouro português, o Banco de Portugal e o BCE serão detentores de 46,1% das obrigações e bilhetes do Tesouro emitidos pelo país. Em fevereiro de 2020 essa percentagem era de 28,1%. Considerando o valor investido em certificados do Tesouro e a dívida aos credores oficiais da União Europeia o peso no final de julho seria de 27,2%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCE já é dono de quase metade da dívida portuguesa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião