Quais os países da UE que mais usam energias renováveis?

A Suécia surge destacada, com mais da metade de energia proveniente de fontes renováveis ​​no seu consumo final bruto de energia (56,4%). Portugal surge em 7º na lista, com 30,6% de renováveis.

A Europa quer tornar-se no primeiro continente do mundo neutro em carbono até 2050, tal como dita o Green Deal, e as energias renováveis são um forte aliado para lá chegar: reduzem as emissões de gases de efeito estufa, diversificam as fontes energia e baixam a dependência face aos combustíveis fósseis (petróleo e gás).

Em 2019, as energias renováveis ​​representavam 19,7% da energia consumida na UE-27, apenas 0,3% abaixo da meta traçada por Bruxelas de 20% para 2020, revelam os dados mais recentes do Eurostat. Em 2004, esta percentagem era de apenas 9,6%. Ou seja, no espaço de 16 anos a percentagem do consumo final bruto de energia de fontes renováveis ​​mais do que duplicou na UE, um aumento expressivo ditado sobretudo pelas leis do Executivo europeu.

“Esta evolução positiva foi motivada pelos objetivos juridicamente vinculativos de aumento da quota de energia proveniente de fontes renováveis, promulgados pela Diretiva 2009/28 relativa à promoção da utilização de energia proveniente de fontes renováveis”, refere o Eurostat.

No entanto, e mesmo que a UE, como um todo, esteja em vias de cumprir os seus objetivos para as energias renováveis, alguns Estados-membros estão ainda longe da meta e terão de levar a cabo “esforços adicionais” para cumprir as suas obrigações no que diz respeito à quota global de energia proveniente de fontes renováveis ​​no consumo final bruto de energia e à presença de energia limpa nos transportes.

Com mais da metade de energia proveniente de fontes renováveis ​​em seu consumo final bruto de energia, a Suécia (56,4%) teve de longe a maior participação entre os Estados-membros da UE em 2019, à frente da Finlândia (43,1%), Letónia (41,0%), Dinamarca (37,2%), Áustria (33,6%) e Estónia (31,9%).

Nesta lista, Portugal é o sétimo país da UE com maior percentagem de renováveis, com 30,6%.

No extremo oposto da escala, as menores percentagens de energias renováveis ​​foram registadas no Luxemburgo (7,0%), Malta (8,5%), Países Baixos (8,8%) e Bélgica (9,9%).

Os dados do Eurostat indicam que 14 países da UE já ultrapassaram os seus próprios objetivos em termos de renováveis para 2020. Seis países estão já muito perto dos seus objetivos: Hungria, Áustria e Portugal a 0,4 pontos percentuais (pp), Alemanha (0,6 pp), Malta (1,5 pp) e Espanha (1,6 pp).

Em contrapartida, ainda bastante distantes dos seus objetivos nacionais encontram-se a França (5,8 pp), Países Baixos (5,2 pp), bem como a Irlanda e o Luxemburgo (ambos a 4 pp).

Portugal é o 4º país da UE com mais renováveis na eletricidade

Olhando mais em pormenor, o Eurostat revela que em 2019, as fontes de energia renovável ​​representaram 34% do consumo bruto de eletricidade na UE-27, ligeiramente acima dos 32% registados em 2018. Portugal é o 4º país da UE-27 com maior peso de energias limpas na energia elétrica, apenas atrás da Áustria, Suécia e Dinamarca.

As energias eólica e hídrica representaram dois terços do total da eletricidade produzida a partir de fontes renováveis ​​(35% cada). O restante foi gerado a partir de energia solar (13%), biocombustíveis sólidos (8%) e outras fontes renováveis ​​(9%).

“A energia solar é a fonte de crescimento mais rápido: em 2008, era responsável apenas por 1%. Isso significa que o crescimento da eletricidade proveniente da energia solar foi dramático, passando de apenas 7,4 TWh em 2008 para 125,7 TWh em 2019”, refere o gabinete de estatísticas da UE na sua análise.

Entre os 27 Estados-Membros da UE, mais de 70% da eletricidade consumida em 2019 foi produzida a partir de fontes renováveis ​​na Áustria (75%) e na Suécia (71%).

O consumo de eletricidade proveniente de fontes renováveis ​​também foi elevado na Dinamarca (65%), Portugal (54%) e Letónia (53%), representando mais de metade da eletricidade consumida.

No outro extremo da escala, a participação da eletricidade proveniente de fontes renováveis ​​era de 10% ou menos em Malta (8%), Chipre, Luxemburgo e Hungria (todos 10%).

Transportes com apenas 8,9% de energia renovável em 2019

Os países da UE chegaram a acordo para estabelecer uma meta comum de 10% para a parcela de energia renovável (incluindo biocombustíveis líquidos, hidrogénio, biometano, eletricidade “verde”, etc.) usada nos transportes até 2020. No entanto, em 2019 esta percentagem estava ainda nos 8,9%.

Também aqui Portugal surge bem classificado, em sexto lugar na tabela, com 9,1%.

Entre os Estados-Membros da UE-27, a percentagem de energia renovável no consumo de combustível para transportes oscilou entre máximos de 30,3% na Suécia, 21,3% na Finlândia e 12,5% nos Países Baixos até 4% ou menos na Grécia e Lituânia (ambos 4,0%) e Chipre (3,3%).

Quais são os hotéis mais caros do país? Quem são as personalidades mais influentes no TikTok? E os gestores mais bem pagos da nossa bolsa? De segunda a sexta-feira, todos os dias há um ranking para ver aqui no ECO.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quais os países da UE que mais usam energias renováveis?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião