Banca deu 1.385 milhões de euros em crédito para a casa em julho

Montante concedido pelos bancos para comprar casa superou a fasquia dos mil milhões de euros pelo quinto mês consecutivo.

A procura por crédito para a casa subiu ligeiramente em julho, mas manteve-se acima do patamar dos mil milhões de euros. De acordo com os dados do Banco de Portugal (BdP) publicados esta quarta-feira, os bancos concederam um total de 1.385 milhões de euros em empréstimos para a habitação, elevando o total financiado em 2021 para 8.563 milhões de euros.

“Os novos empréstimos à habitação totalizaram 1.385 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 88 milhões de euros relativamente ao observado no mês anterior, e a um aumento de 454 milhões de euros em relação a julho do ano passado”, refere o supervisor do sistema financeiro nacional.

Julho foi, assim, o quinto mês consecutivo em que o montante concedido pelos bancos para a compra de casa ficou acima da fasquia dos mil milhões de euros, marca que tinha sido já alcançada no último mês de 2020. No acumulado do ano, o montante total concedido ascende a 8.563 milhões de euros.

Crédito à famílias acelera em julho

Esta evolução revela um maior dinamismo no mercado imobiliário, apesar do contexto de pandemia, traduzindo-se positivamente nos resultados das instituições financeiras uma vez que gera maiores receitas.

A ajudar a puxar pela procura de crédito para a casa tem estado o contexto de juros baixos patrocinados pelo Banco Central Europeu (BCE). “A taxa de juro média destes empréstimos desceu para 0,80%” em julho, segundo o BdP. “Esta taxa encontra-se abaixo de 1% desde agosto de 2020”, nota.

Crédito ao consumo em máximos desde a pandemia

O BdP salienta também a concessão de crédito no segmento de consumo. Diz que “os bancos emprestaram 429 milhões de euros, montante que representa um aumento de nove milhões de euros em relação a junho deste ano e um aumento de 27 milhões de euros face a julho de 2020”.

“Este montante de empréstimos é o mais elevado desde o início da pandemia”, salienta o supervisor, acrescentando que no que se refere ao crédito para outros fins se assistiu a uma estabilização comparativamente a junho. Foram concedidos 207 milhões.

Empréstimos às empresas aumentam

Em relação às empresas, os “bancos concederam 2.668 milhões de euros de novos empréstimos a empresas, dos quais 1.465 milhões de euros corresponderam a empréstimos de montante igual ou inferior a um milhão de euros”. Houve um aumento face aos 2.495 milhões concedidos em junho.

“A taxa de juro média dos novos empréstimos a empresas manteve-se em níveis historicamente baixos: 2,03% em julho, valor que fica, no entanto, acima do registado em junho de 2021 (1,98%) e em julho do ano passado (2,00%)”, salienta.

“A análise por classe de montante mostra que a taxa de juro dos novos empréstimos de montante inferior ou igual a um milhão de euros subiu para 2,25% e a taxa de juro dos empréstimos de montante superior a um milhão de euros subiu face a junho de 2021, para 1,75%”.

(Notícia atualizada às 11h32 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Banca deu 1.385 milhões de euros em crédito para a casa em julho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião