Explosão do ramo Vida faz mexer top 10 das seguradoras

  • ECO Seguros
  • 13 Setembro 2021

Com o disparo de vendas dos seguros de vida ligados a fundos algumas seguradoras desafiam a habitual hierarquia. Fidelidade, BPI, GamaLife e Real Vida reforçaram bastante as suas quotas de mercado.

Um crescimento de de 72% na produção do ramo Vida nos sete primeiros meses do ano relativamente ao mesmo período do ano passado, alterou bastante o ranking das maiores seguradoras ou grupos em Portugal. Os resultados foram agora divulgados pela ASF, entidade reguladora do setor, com base na informação de todo o mercado que inclui 64 seguradoras, das quais 26 exploram o ramo Vida e 29 ramos Não Vida. ECOseguros consolidou todas as seguradoras em 42 grupos ou seguradoras independentes.

No topo do ranking a Fidelidade faturou mais 700 milhões de euros nos sete primeiros meses do ano, aumentando a sua quota de mercado de 25,1% para 28,5%, principalmente devido à seguradora Fidelidade e à sua componente Vida, cujo negócio cresceu 1,5 vezes em relação a 2020. Nos ramos Não Vida a subida foi de 4,35% juntando as quatro unidades do grupo a operar em Portugal.

O Grupo Ageas Portugal mantém o 2º lugar no ranking reforçando a quota de mercado em 1% para 16,9%, principalmente devido à subida da Ocidental Vida em 81% para uma produção de 723 milhões de euros em sete meses. A Ageas Vida, outra empresa do grupo teve uma subida de 22% enquanto a Ageas Seguros subiu 4,4% no lado dos ramos Não Vida.

A Generali, que hoje agrega todas as marcas da Seguradoras Unidas e tem de bandeira a Tranquilidade, continua em 3º lugar no ranking nacional mas baixou a sua parte do mercado de 12,2% para 9,6%. A Tranquilidade cresceu em prémios emitidos apenas 4% depois de um desempenho de 6,4% nos ramos Não Vida onde é a 2ª maior do mercado. A companhia tem apenas 7% da sua produção em seguros de Vida pelo que não aproveitou a subida no ramo.

BPI, GamaLife e Real duplicam vendas e ganham lugares na tabela

O efeito da subida do ramo Vida levou a alterações significativas. A BPI Vida & Pensões, tornou-se a 4ª maior seguradora do país, era 8ª há um ano, duplicando as vendas em sete meses para perto de 500 milhões de euros. A GamaLife, em primeiro ano de pleno funcionamento também duplicou vendas e é agora a 8ª maior do país vinda de 10ª. A Real Vida dá um salto do 18º para o 13º lugar do ranking aumentando as vendas em 90% neste período.

Com a subida da BPI Vidas & Pensões, os grupos seguradores do Santander, Allianz e Zurich desceram uma posição mas todos subiram vendas, com maiores significados para os que exploram seguros de Vida com mais intensidade.

Com subidas relevantes destaque ainda para o grupo CA (+27%), Caravela (+19%), Una (+30%), Prévoir (+16%), e Asisa (+59%).

Entre as seguradoras de crédito, a Cosec quebrou 17% nos sete primeiros do ano relativamente a igual período de 2020 mas mantém a liderança seguida da Crédito y Caución, que também baixou 15%, tendo CESCE (+41%) e Coface (+11%) mantido os 3º e 4º lugares neste segmento.

As maiores seguradoras ou grupos seguradores nos sete primeiros meses deste ano quanto a produção são os seguintes:

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Explosão do ramo Vida faz mexer top 10 das seguradoras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião