Letónia anuncia confinamento de quatro semanas para travar pico de casos

  • ECO
  • 18 Outubro 2021

País tem uma das mais baixas taxas de vacinação na União Europeia. Primeiro-ministro pediu desculpa a quem já se vacinou e terá de confinar novamente até 15 de novembro.

A Letónia anunciou um confinamento obrigatório de quatro semanas, entre 21 de outubro até 15 de novembro, para travar o aumento das infeções num dos países com mais baixa taxa de vacinação na União Europeia.

“O nosso sistema de saúde está em perigo… A única forma de sairmos desta crise é sermos vacinados”, apelou o primeiro-ministro letão, Krisjanis Karins, depois de se reunir com o seu executivo de emergência. Karins culpa os baixos índices de vacinação pelo pico de hospitalizações derivadas da Covid-19.

Apenas 54% dos adultos letões estão totalmente vacinados, bem abaixo da média de 74% da UE, segundo os dados de Bruxelas.

“Tenho de pedir desculpas ao que já estão vacinados”, afirmou Karins, anunciando que as lojas, restaurantes e espaços culturais e entretenimento vão ter de encerrar, mantendo-se abertos os serviços apenas essenciais. Os letões terão de cumprir recolher obrigatório entre as 20h00 e as 5h00.

A maioria das empresas terá de funcionar em teletrabalho, sendo que apenas os setores industrial, da construção e dos serviços essenciais poderão continuar em trabalho presencial.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Letónia anuncia confinamento de quatro semanas para travar pico de casos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião